fundo parallax

Farei com que você pertença à família dos santos.

E39T02 – Indulgência plenária pelo centenário de Fátima
25 de setembro de 2017
A autoridade na mão de um superior temerário é como uma espada na mão de um louco
25 de setembro de 2017
 


Farei com que você pertença à família dos santos.

Padre Pio nos diz que fará com que nós pertençamos à família dos santos. Mas o que é a família dos santos? Afinal o que é ser santo? Santo é uma estátua de gesso que ornamenta nossas igrejas? Santo é alvo de idolatria? Nada disso. O santo é uma pessoa que merece ser lembrada e respeitada por seus atos heroicos. Mas não é só Deus o Santo? Sim, Deus é Santo por excelência. É o santo dos santos. Mas nós também podemos ser Santos. Os homens são santos na medida em que se aproximam de Deus, nosso criador.

São Paulo chamava de santos os membros da igreja primitiva quando dirigia a eles suas cartas. E São Pedro nos diz que: “Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver”. No céu todos estão intimamente unidos a Deus. Todos os que estão no céu atingiram a santidade perfeita, ou seja, no céu só tem santo.

Os homens e as mulheres que a Igreja Católica chama de santos são milhares. Mas por que são chamados de santos? Basta analisarmos a vida deles. Um santo canonizado foi alguém que na terra praticou a bondade heróica em todas as suas ações. Os seres humanos chegam à santidade travando uma árdua batalha com eles mesmos, com a carne e com o demônio. E isso é possível a todos os batizados. Existem santos de todas as etnias e nacionalidades. De todas as épocas e das mais diversas profissões. Solteiros e casados, homens e mulheres, crianças, jovens, adultos, idosos. Clérigos e leigos. Todos nós somos chamados a santidade. O nosso lugar é o céu. É para lá que queremos ir e no céu só entra santo.

Padre Pio não queria apenas pregar o evangelho. Ele não queria apenas celebrar missas. Ele não queria apenas passar o dia inteiro ouvindo confissões. Ele queria mais. Ele queria que todos fossem santos. E faz para nós uma espécie de promessa. Uma promessa muito particular: “Farei com que você pertença à família dos santos”.

A pergunta é: “você quer pertencer à família dos santos? Será que eu quero pertencer à família dos santos? Eu quero deixar a minha vidinha medíocre e amar a Deus de todo o meu coração? Amar a Deus ardentemente e não fazer nada que possa ofendê-lo?” O que ofende a Deus é nosso pecado, por menor que seja. “Eu estou disposto a deixar meu orgulho, minha vaidade, minha autossuficiência, meu egoísmo, meus pecadinhos de estimação para me consumir de amor por Jesus e entregar toda a minha vida a Ele?”

Só assim alcançaremos a santidade. Só assim faremos parte da família dos santos. Padre Pio prometeu nos ajudar, mas precisamos fazer a nossa parte. Em pequenas coisas. Reclamamos da corrupção. Que o Brasil não tem jeito. Que os políticos são todos corruptos, mas muitas vezes colamos nas provas, falo isso agora pensando em meus alunos, falsificamos carteirinha de estudante pra pagar meia entrada no teatro e no cinema, roubamos TV a cabo ou internet. Compramos produtos falsificados e CDs e DVDs piratas. Furamos filas sempre que tempos oportunidade. Passamos no sinal vermelho. Tentamos subornar o guarda pra evitar pagar multa. Batemos ponto pelo colega no trabalho ou pedimos para ele bater para nós quando estamos atrasados. Faltamos ao trabalho e apresentamos atestado falso. Tudo isso é corrupção. E quando chegam as eleições presidenciais votamos mal. Votamos errado. Vendemos o voto. Trocamos o voto por um bolsa isso, bolsa aquilo. Somos egoístas. Ao invés de pensar no futuro da nação, no que é melhor para o nosso país, votamos pensando apenas no nosso próprio umbigo. Em nosso próprio benefício. Assim nunca seremos santos.

O santo morre para si mesmo para viver para os outros. E São Paulo no diz: “Acaso não sabeis que os injustos não hão de possuir o Reino de Deus? Não vos enganeis: nem os impuros, nem os idólatras, nem os adúlteros, nem os efeminados, nem os devassos, nem os ladrões, nem os avarentos, nem os bêbados, nem os difamadores, nem os assaltantes hão de possuir o Reino de Deus.” Portanto não queiramos ser assim, busquemos uma vida de santidade. Voltemos o nosso olhar para o alto para um dia podermos pertencer a família dos santos.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *