fundo parallax

Jesus quer de você a constância e a perseverança no bem.

E41T02 – Templários de Facebook
9 de outubro de 2017
Ainda temos que mastigar muito esterco
9 de outubro de 2017
 


Jesus quer de você a constância e a perseverança no bem.

Padre pio nos propõe para meditarmos e colocarmos em prática em nosso dia a dia, algo que a princípio, parece simples, parece algo fácil de realizar, mas apenas parece, não é. Fazer o bem é o básico que se espera de um cristão. A prática da caridade. A virtude da caridade é uma das, senão a mais importante de todas as virtudes. Sem a caridade nossa fé é vã. A fé sem obras é morta, escreveu-nos São Tiago em sua carta. E o apóstolo Paulo nos diz em sua primeira carta aos Coríntios, capítulo treze que mesmo que distribuíssemos toda a nossa fortuna para sustento dos pobres, como fez São Francisco de Assis, e ainda que entregássemos o nosso corpo para ser queimado, se não tivesse caridade, nada disso nos aproveitaria.

Mas fazer somente o bem é muito mais difícil do que possamos imaginar. Jesus quer de nós a constância e a perseverança no bem, ou seja, uma firme determinação de nunca fazer mal a ninguém, nem por pensamentos, nem por palavras, nem por atos e nem por omissões. Às vezes nos enchemos de orgulho porque pertencemos a esta ou aquela igreja, a esta ou aquela pastoral católica, a este ou aquele grupo ou movimento. Porque servimos na missa, como coroinhas, ministros extraordinários, leitores ou cantores, mas somos intolerantes com pessoas que tem fé diferente de nós. Candomblecistas, umbandistas, espíritas, budistas, muçulmanos, hare krishnas, judeus, qualquer um que não seja cristão, logo vira alvo de nossas críticas perversas. Isso é maldade. Isso não é ter constância no bem. Lembrando que tolerar não significa concordar, mas conviver em um clima de fraternidade para poder convertê-los à fé católica ao invés de viver em pé de guerra e afastá-los cada vez mais.

Você vai à missa e começa a reparar nas pessoas, como elas estão vestidas, como elas não param quietas, como elas não se ajoelham na consagração, reparar no padre, como ele não celebra de acordo com as rubricas do missal, como ele mandou a casula pra lavanderia e não teve tempo de buscá-la para a missa, como ele permite estas meninas dançarem na hora do ofertório e assim por diante. Repara nos músicos como eles escolheram mal as canções, como esta música é inadequada para o kyrie, como aquela outra é inadequada para o sanctus, repara na homilia que está se desviando do tema central do evangelho para falar de temas inerentes a teologia da libertação e depois de tudo isso, você mal sai da missa e começa a falar mal de tudo o que presenciou. Isso é fazer o bem? Isso é ter perseverança no bem?

Você fala de Jesus, do amor de Deus, mas não consegue se entender dentro de casa, briga com o cônjuge e os filhos, briga com seus pais e irmãos, briga com seus amigos, não tolera nada de ninguém, não leva desaforo pra casa como se diz. Usa as redes sociais para atacar todo mundo e não aceita ser criticado nunca. É frio, calculista, vingativo, rancoroso. Sempre pensa numa forma de fazer as pessoas pagarem pelo mal que elas praticaram contra você ao invés de simplesmente perdoar e esquecer. Isso é fazer o bem?

Você xinga todo mundo no trânsito, diz um monte de palavrões, não que falar palavrão seja pecado, mas a sua intenção de ofender o irmão, certamente é, e por mais que aparentemente seja um pacifista, por mais que as pessoas olhem pra você e pensem que você é um homem, uma mulher de Deus, um homem, uma mulher da paz e do bem, lá no íntimo do seu coração você deseja o mal para os outros, deseja que as coisas deem errado para as pessoas, e até mesmo deseja que determinada pessoa morra. Isso é fazer o bem?

Padre Pio nos diz que Jesus quer de cada um de nós a constância e a perseverança no bem, isto é, não basta fazer o bem de vez em quando, tem que fazer sempre, constantemente, sem cessar. Não basta não fazer o mal. Tem muita gente que diz: “eu não faço mal pra ninguém”, mas também não faz o bem. Não basta não fazer o mal, tem que fazer o bem. Tem que estar disposto a sempre correr ao encontro do outro para ajudá-lo em todas as situações, praticar o bem sem olhar a quem, como costumamos dizer. E como é difícil isso! Às vezes ficamos protelando, demoramos para tomar uma atitude e quando percebemos é tarde demais. Já passou aquela oportunidade de fazer o bem. Mas outras surgirão. Cada dia é uma nova oportunidade, uma folha em branco no livro da vida, que Deus nos dá e que pelo nosso livre arbítrio podemos escrever nela o que quisermos. Muita gente esquece que só temos o hoje, o futuro não existe.

Pode ser que ao acabar de ler este texto eu morra, a minha hora, a tua hora pode chegar a qualquer momento. E aí? Estamos preparados? Não deixe para rezar amanhã, não deixe para amar a Deus amanhã, não deixe para se converter amanhã, não deixe para fazer o bem amanhã, pois o amanhã pode não chegar e você pode ter que prestar contas da tua vida ainda hoje.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *