fundo parallax

O ministério da pregação

A mansidão reprime a ira.
20 de novembro de 2017
E48T02 – A crise populacional nos países ricos
27 de novembro de 2017
 


O ministério da pregação

O pregador por excelência é o bispo. Este tem a função de transmitir os ensinamentos de Cristo fielmente sem risco de cometer nenhuma heresia ou de falar alguma bobagem que esteja em desacordo com o magistério da Igreja. Mesmo assim, se alguns bispos nos decepcionam muito em questões de liturgia e de apoio a movimentos comunistas e ao governo do PT que é a própria encarnação do mal em nosso país, é porque até eles estão sujeitos a falhar também na pregação.

Os bispos contam com a ajuda dos padres para o serviço, o ministério da pregação. Os padres são pregadores assistidos pelos bispos, mas infelizmente acabam falando tanta bobagem que até Deus duvida. Já estive em missa em que no meio da homilia deu vontade de ficar de pé e gritar para o padre: “Cala a tua boca, porque você já está excomungado”, mas não o fiz, me contive. Controlei a minha santa ira. Se os bispos estivessem por dentro das bobagens que dizem e fazem certos padres talvez a coisa funcionasse, mas sabemos que além do fato das dioceses em geral serem muito grandes, há também os casos em que o bispo fica sabendo dos abusos e faz vista grossa. E num terceiro grau temos os pregadores leigos.

Se o bispo que é o pregador por excelência pode acabar mesmo que sem querer ensinando algo errado, e os padres que são seus auxiliares às vezes estão mergulhados, por culpa própria ou não no marxismo cultural e na teologia da libertação cometendo assim inúmeros erros em suas pregações, o que pensar então de um pregador leigo não é mesmo? Mas por incrível que pareça tem pregador leigo que dá um banho em muito bispo e padre por aí. E sabe por quê? Por causa de seu zelo com o ministério da pregação. Pelo seu cuidado e amor à Igreja de Cristo e ao Magistério.

Estes pregadores leigos, tirando raras exceções, se entregam totalmente aos estudos espirituais, livres de qualquer outra ocupação. Lêem o catecismo, o código de direito canônico, as encíclicas papais, além é claro, das sagradas escrituras e tem uma vida de oração e ascese. Foram escolhidos por um grande rei para transmitir aos povos as palavras recebidas de sua boca e a estas palavras não acrescentam seus caprichos, suas ideologias político-partidárias nem nada neste sentido. Deixam-se guiar pelo Espírito de Deus ao invés de serem conduzidos pelos seus próprios desejos procurando se afervorar primeiro por dentro, para não proferir palavras frias.

Já ouvi palavras de sabedoria de pregadores simples, pobres, idosos, semi-analfabetos, mas que foram de uma edificação tão grande e teologicamente tão em comunhão com a Igreja de sempre que as palavras apesar de estarem saindo de seus lábios pareciam estar descendo do céu, trazidas por um anjo para que a vontade de Deus fosse manifesta. Por outro lado já ouvi pregações de padres tão frias, tão vazias, tão fora de propósito que cheguei a pensar que estava numa agremiação, numa associação de moradores, numa reunião do MST, ou seja, em qualquer lugar menos na Igreja Una, Santa e Católica.

O que precisa ficar bem claro é que se o pregador for católico, ou seja, estiver em comunhão com a Igreja, ele será assistido pelo Divino Espírito Santo e a pregação será frutuosa. Muitas pessoas procuram pelo padre fulano ou padre beltrano, pois são famosinhos, aparecem na rede “grobo” e assim por diante, ao invés de procurarem por pregadores santos que por sua vida e testemunho irão transmitir ao povo os ensinamentos do coração do próprio Deus e não vender uma imagem sua de menino bonitinho ou um produto de uma subreligião e de um falso deus “paz e amor bicho”.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *