fundo parallax

O melhor conforto é o que vem da oração.

#PE07 – Como viver o advento?
4 de dezembro de 2017
Deixar o conforto para ir pelo mundo cantar os louvores do Senhor
4 de dezembro de 2017
 


O melhor conforto é o que vem da oração.

Conforto é uma atmosfera agradável que rodeia o ser humano. Pode ser ambiente material como também ambiente emocional. O conforto do lar, o conforto no ambiente de trabalho, palavras de conforto, oferecer apoio e amparo para alguém em momentos difíceis e etc. Tem como sinônimos: aconchego, alívio, bálsamo, consolação, refrigério repouso, sossego, enfim, percebemos na palavra conforto uma sensação de bem estar. Como é bom vestir uma roupa confortável, um sapato confortável não é mesmo? Como é bom sentar em uma poltrona confortável, repousar a cabeça em um travesseiro confortável. O tempo todo o ser humano busca o conforto, todos nós de alguma forma queremos viver com um pouco de conforto. Não estou falando em luxo, nem em riqueza, mas do mínimo de conforto necessário para nós e nossa família.

Francisco de Assis evitava todo tipo de conforto físico, castigava o irmão corpo com duras penitências, dormia no chão duro, passava frio vestindo apenas uma túnica nos duros invernos da Itália, comia pouco, misturava cinza à comida para tirar o sabor, mas encontrava conforto para a alma. E este conforto é o que padre Pio chama de o melhor conforto, pois é o que vem da oração. Orar, isto é, falar com Deus nos enche de consolação. Não apenas repetir palavras e multiplicá-las, mas a oração-diálogo com Deus.

Santa Paula Frassinetti dizia que: “No Coração de Jesus existe tudo o que precisamos: fortaleza para os fracos, coragem para os tímidos, luz e conselho para os hesitantes; e para todos: humildade, paz, caridade e alegria de viver”. É no coração dulcíssimo de Jesus que encontramos refrigério para nossa alma. É o porto seguro onde podemos recostar a cabeça e dormir tranquilos. No coração de Jesus encontramos conforto, exatamente no peito aberto de Jesus em suas chagas.

O profeta Isaías em seu capítulo cinquenta e três, versículo quatro e seguintes fala que Jesus verdadeiramente tomou sobre si as nossas enfermidades, e as nossas dores levou sobre si. Ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.

São as chagas de Jesus que nos confortam, que nos acalentam, que nos dão novo ânimo. E eu quero chamar a atenção para uma prática já bastante conhecida para o Franciscanos, que é a Quaresma em honra a São Migueol Arcanjo. Pois principalmente durante o tempo da quaresma de São Miguel Arcanjo em que mortificamos nosso corpo dos confortos do mundo que podemos melhor sentir a consolação de Deus.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *