fundo parallax

Duvidar é o maior insulto à divindade

E52T02 – Podemos mudar o plano de Deus com nossas orações?
27 de dezembro de 2017
O homem é um câncer para o planeta?
27 de dezembro de 2017
 


Duvidar é o maior insulto à divindade

O evangelho de Lucas já em seu capítulo primeiro, nos conta que antes do arcanjo Gabriel aparecer para Maria e anunciar a ela que ela daria à luz ao filho de Deus, meses antes o mesmo arcanjo apareceu para um sacerdote judeu chamado Zacarias. Zacarias estava diante de Deus exercendo suas funções de sacerdote e entrou no santuário do Senhor para oferecer o perfume. Todo o povo estava do lado de fora à hora da oferenda do perfume. Apareceu-lhe então um anjo do Senhor em pé, à direita do altar do perfume. Vendo-o, Zacarias ficou perturbado e cheio de medo. Mas o anjo lhe disse: Não temas Zacarias, porque foi ouvida a tua oração. Isabel tua esposa te dará um filho e irás chamá-lo de João. Zacarias perguntou ao anjo: Como eu terei certeza disso, pois sou velho e minha mulher é de idade avançada? O Anjo lhe respondeu: Eu sou Gabriel, que assisto diante de Deus e fui enviado para te falar e te trazer esta boa notícia. Eis que ficarás mudo, e não poderás falar até o dia em que estas coisas acontecerem, visto que não destes crédito às minhas palavras que se hão de cumprir a seu tempo.

Zacarias era um homem idoso, e sua mulher também tinha idade avançada e era tida como estéril. Humanamente seria impossível acreditar na mais remota possibilidade de, naquela altura do campeonato, como costumamos dizer, que Isabel engravidasse. Mas Zacarias era sacerdote, o que nos faz supor que fosse um homem de fé. Ou será que era como muitos padres que conhecemos hoje em dia, que ao invés de servirem a Deus, querem servir ao povo? Zacarias sendo sacerdote, e tendo um anjo aparecido para ele, não poderia duvidar. Duvidar é o maior insulto à divindade, diz padre Pio. E com isso Zacarias ficou mudo até o dia em que seu filho, João Batista, nasceu. Nove meses sem poder falar uma só palavra. Não porque Deus é um deus mal, que castiga, mas porque ele duvidou da palavra de Deus.

E quanto a nós? Tantas coisas extraordinárias que Deus faz em nossas vidas todos os dias e duvidamos. Não temos fé. Preferimos atribuir os milagres ao acaso. Tentamos sempre encontrar uma explicação científica para tudo. Eu tenho alguns amigos que são deístas, ou seja, acreditam em Deus, acreditam que Ele criou tudo quanto existe, mas não acreditam que Ele continue a agir na vida da humanidade. Isso é uma terrível heresia! Acham que Ele fez o mundo, fez as pessoas e depois abandonou tudo à sua própria sorte. Portanto não crêem no poder da oração. Não crêem que Deus possa fazer tudo, que seja Ele, todo-poderoso. Ou melhor, podem até crer na onipotência divina, mas acreditam que Ele simplesmente resolveu não mais intervir em nossas vidas. Nos abandonou ao acaso, à nossa própria sorte. E talvez mesmo se um anjo aparecesse para eles, lhes mostrando o contrário, eles não acreditariam, pois estão cegos com suas teorias heréticas. O mesmo vale para todos os hereges de dentro e os hereges de fora da Igreja.

Zacarias pensou ser impossível sua esposa Isabel que era tida com estéril, engravidar na velhice. Esqueceu-se que nosso Deus é o Deus do impossível. E quantos de nós, quando olhamos o sacerdote erguer o Corpo de Cristo sobre o altar, não acreditamos não é mesmo? Pensamos se tratar apenas de um pedaço de pão ázimo. Nada além disso. Quantos milagres eucarísticos mundo afora nestes dois mil anos de história da Igreja para provar a presença real de Jesus na Eucaristia e ainda tem padre, sacerdotes como Zacarias, que duvidam que Deus pode fazer todas as coisas. Que Ele pode e faz. Duvidam que Jesus transubstancia-se de pão em Corpo, de vinho em Sangue e que sobre o altar não há mais pão, não há mais vinho, mas sim, está verdadeiramente presente o Corpo e o Sangue, a Alma e a Divindade de Nosso Diletíssimo Deus e Senhor, Jesus Cristo. E outros tantos que não duvidam, mas que parecem não dar importância à tão grandioso milagre e ficam de bate papo dentro da igreja, desfilando de um lado para outro, passam dezenas de vezes em frente ao sacrário e não fazem nem se quer uma reverência de cabeça, quanto mais uma genuflexão.

Algum tempo depois de ter aparecido à Zacarias, o anjo Gabriel foi enviado por Deus à uma cidade da Galileia chamada Nazaré. À uma virgem desposada com um homem chamado José. O nome da virgem era Maria. O anjo entrou onde ela estava e lhe disse: Ave cheia de graça, o Senhor é contigo! Ela perturbou-se com essas palavras e ficou pensando no significado de tal saudação. O anjo lhe disse: Não temas Maria, pois encontraste graça diante de Deus. Eis que conceberás e darás à luz a um filho e lhe porás o nome de Jesus. Ele será grande e será chamado Filho do Altíssimo. E o Senhor Deus lhe dará o trono de seu pai, Davi. E reinará eternamente na casa de Jacó e o seu reino não terá fim. Maria perguntou ao anjo: Como se fará isso, pois não conheço homem? Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti e a força do Altíssimo te envolverá com Sua sombra. Por isso o ente Santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, até ela, concebeu um filho na sua velhice e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril. Porque à Deus nenhuma coisa é impossível. Então disse Maria: Eis aqui a escrava do Senhor, faça-se em mim segundo a Tua palavra.

Vale lembrar que Maria teve uma atitude muito diferente da de Zacarias. Ela não duvidou. Mesmo sendo virgem. Mesmo não conhecendo homem algum, como ela mesma disse ao anjo, ela não duvidou. Ela apenas perguntou ao anjo como iria acontecer tal milagre. E o anjo pacientemente, explicou a ela tudo direitinho como seria, pois como nos ensina padre Pio: Duvidar é o maior insulto à divindade.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *