fundo parallax

Quanto maiores forem os dons, maior deve ser sua humildade, lembrando de que tudo lhe foi dado como empréstimo

#PE11 – O declínio e a extinção dos Templários
2 de abril de 2018
E15T03 – A maçã envenenada da ideologia feminista
9 de abril de 2018
 


Quanto maiores forem os dons, maior deve ser sua humildade, lembrando de que tudo lhe foi dado como empréstimo.

São Paulo em sua carta aos Efésios, capítulo quatro, versículos onze e doze nos diz que a uns Deus constituiu apóstolos; a outros, profetas; a outros, evangelistas, pastores, doutores, para o aperfeiçoamento dos cristãos, para o desempenho da tarefa que visa à construção do corpo de Cristo. De fato somos membros do corpo de Cristo e temos a tarefa de com os dons que recebemos do pai celestial construirmos o corpo de Cristo, isto é, a Igreja.

Ninguém é perfeito, ninguém sabe fazer tudo. Nós precisamos uns dos outros e Deus quis que fosse assim. Tem várias coisinhas dentro de casa que sabemos fazer, como pequenos reparos elétricos ou até mesmo hidráulicos, pinturas e outros consertos, mas há certas coisas que não sabemos fazer e precisamos chamar alguém que verdadeiramente entenda do assunto. Outras vezes até sabemos fazer, mas preferimos pagar alguém que faça, pois sabemos que ficará bem melhor do que se for feito por nós mesmos.

Se ficamos doentes, vamos ao médico, não convém se automedicar, precisamos de um especialista. Às vezes vamos ao clínico geral e ele nos encaminha para outro médico, especialista naquele assunto específico que diz respeito a dor que estamos sentindo. Se estamos com dor de dente, vamos ao dentista, ninguém, creio eu, tenta arrancar seu dente sozinho em casa, não é mesmo?

Há pessoas que eu conheço que tem um dom extraordinário para cantar e cantam nas missas, uma maravilha, mas não sabem tocar nenhum instrumento musical. Por outro lado conheço pessoas que sabem tocar perfeitamente bem dois ou três instrumentos, mas quando abrem a boca para cantar é um desastre.

Conheço pessoas que pintam telas à óleo. Um quadro mais lindo do que outro, mas se pedir para fazer uma escultura, não sai nada, nem mesmo de argila. Por outro lado, conheço pessoas que esculpem blocos de mármore, transformando-os em belíssimas peças, mas que se der a elas uma tela para pintar, não conseguem fazer nem um rabisco.

E quem atua na área da educação como eu, vê alunos que vão super bem em matemática e só tiram notas baixas em língua portuguesa. Outros são fera em língua portuguesa e tiram notas péssimas em matemática. Geralmente os que vão bem em matemática, também vão bem em química e física, e os que vão bem em língua portuguesa, se saem bem igualmente em história e ensino religioso.

É que uns são da área de exatas e outros da área de humanas. As ciências humanas em si refere-se somente àquelas ciências que tem o ser humano como seu objeto de estudo ou foco. Em outras palavras, consistem nas profissões e as carreiras que tratam primariamente dos aspectos humanos. Já as ciências exatas são as ciências que têm a Matemática, a Química e a Física como peças fundamentais dos seus estudos.

Claro que existem as exceções. Leonardo da Vinci por exemplo, era cientista, matemático, engenheiro, inventor, anatomista, pintor, escultor, arquiteto, botânico, poeta e músico. De fato, um gênio. Mas nós, medianos, que fazemos parte da maioria das pessoas do mundo, não somos assim.

Eu, por exemplo, sou da área de humanas, fiz faculdade de história e teologia, leciono ensino religioso, escrevo para um jornal, apresento programa de rádio, já fiz teatro e cinema, escrevi mais de duzentas canções e publiquei livros de poemas, portanto não me convide para trabalhar na contabilidade da sua empresa, pois será um fracasso total.

Mas padre Pio nos dá valiosas lições quando nos diz que independente do dom que recebemos de Deus, temos que saber que estes dons não são nossos, são algo emprestado por Deus, portanto não podemos nos vangloriar deles, pois não são mérito nosso e sim graça de Deus.

E quanto maiores os dons que recebermos, mais humildes devemos ser. Recebemos os dons para colocá-los a serviço, em prol da sociedade e não para guardá-los conosco egoisticamente. Desta forma, uns servindo aos outros com os dons que recebemos de Deus, fazemos um mundo melhor e vamos nos aperfeiçoando mutuamente para construirmos o corpo de Cristo. Nunca podemos invejar os dons que Deus deu a outrem e não a nós, pois não devemos nos preocupar com o caminho pelo qual Jesus quer que cheguemos à Pátria Celeste – pelo deserto ou pelo campo – quando sabemos que tanto por um como por outro, ou seja, com este ou com aquele dom, desde que colocado em prática à favor dos irmãos, chegaremos da mesma forma à beatitude eterna.

Que assim seja,

Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *