fundo parallax

Não sejamos mesquinhos com Deus, que tanto nos enriquece

E15T03 – A maçã envenenada da ideologia feminista
9 de abril de 2018
Devemos aprender a elogiar
9 de abril de 2018
 


Não sejamos mesquinhos com Deus, que tanto nos enriquece

Para os mal intencionados, esta frase de padre Pio poderia ser um prato cheio, pois há muitos pilantras nestas igrejinhas pseudoevangélicas que sempre dão um jeitinho de justificar as suas malandragens. E para extorquir o povo e arrancar dinheiro fácil seriam capazes até mesmo de citar padre Pio dizendo: “olha só, até o padre está dizendo que tem que dar todo o seu dinheiro para a Igreja”. Digo isso porque um dos sinônimos conhecidos da palavra mesquinho, embora seu significado seja muito mais amplo, é a avareza, ou seja, ser pão duro ou mão de vaca como costuma-se dizer. Então os adeptos da teologia da prosperidade poderiam interpretar que Deus nos enriquece com dinheiro e por isso, não podemos ser avarentos, devemos contribuir com grandes quantias de dinheiro à igreja e assim encher os bolsos dos falsos pastores. Eu chamo de falsos pastores porque os verdadeiros pastores são aqueles que dão a vida por suas ovelhas. Cuidam, pastoreiam, alimentam, e não apenas tosquiam. Estes falsos pastores só querem tosquiar, só querem arrancar todo dinheiro, centavo por centavo e para conseguir tal coisa inventam os motivos mais esdrúxulos possíveis.

Mas padre Pio nos diz que Deus nos enriquece de dons, de talentos, que Deus nos enriquece com suas bênçãos, com sua graça, com sua misericórdia. Deus nos enriquece com os sacramentos que nos dão a certeza da vida eterna. Na verdade tudo depende da forma que enxergamos a vida. Qual o sentido que damos para vida? Essa vida não tem sentido se não acreditarmos que há uma outra vida, a vida eterna, no paraíso, com Deus, com os anjos e santos. Pois se você acredita que só existe esta vida, que depois da morte não há nada, que simplesmente morreu e acabou, então você pensa que deve aproveitar as coisas terrenas como se só existissem coisas terrenas. Quem é da carne vive para a carne. Quem é do espírito vive pelo espírito. Aproveitar as coisas terrenas como se não existisse a vida eterna é acreditar que não temos alma e já que somos só matéria, devemos fazer todas as vontades do nosso corpo. Comer, beber, dormir, ter relações sexuais ilícitas, usar drogas, pintar e bordar com se diz. Mas quando acreditamos que possuímos alma e que nossa alma é imortal, sabemos que o nosso corpo depois da morte irá decompor-se, mas nossa alma continuará. E como continuará? Para onde ela irá? Para o céu, para o inferno ou para o purgatório.

Sabemos que o dinheiro é algo importante para todos nós, mas não é fundamental, não é tudo. Se o dinheiro faz você perder a sua alma, então é melhor viver sem dinheiro nesta vida e herdar a vida eterna. Francisco de Assis era rico, filho de um rico comerciante de tecidos, mas preferiu abraçar a Senhora Dama Pobreza para assim melhor servir a Deus. Mas aqueles que colocam toda a sua confiança no dinheiro e para obter cada vez mais e mais, enganam os irmãos, certamente terão como fim a condenação eterna.

Não ser mesquinhos com Deus, ser generosos com Deus não é apenas contribuir financeiramente, claro que é importante ajudar a igreja em suas necessidades, mas podemos ser generosos com a nossa própria vida, nos doando por inteiro no dia a dia, servindo a Deus e aos irmãos. Se alguém te convidou para ser catequista, para fazer uma leitura, para ser ministro extraordinário, para cantar ou tocar na missa, para participar de um grupo bíblico ou movimento eclesial, de ações sociais que ajudam os pobres, enfim, não seja mesquinho, pois Deus te deu a vida e te enriquece com tantos outros dons e quer um dia te dar a vida eterna.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *