fundo parallax

Deus não opera prodígios onde não há fé

E17T03 – Por que Nossa Senhora escolheu Portugal?
23 de abril de 2018
E18T03 – Como ousaremos ler a Bíblia sem um coração reto e submisso ao Senhor?
30 de abril de 2018
 


Deus não opera prodígios onde não há fé

No evangelho escrito por São Mateus, capítulo seis, versículos de um a seis diz que Jesus foi a Nazaré, sua terra, e seus discípulos o acompanharam. Quando chegou o sábado, começou a ensinar na sinagoga. Muitos que o escutavam ficavam admirados e diziam: ‘De onde recebeu ele tudo isto? Como conseguiu tanta sabedoria? E esses grandes milagres que são realizados por suas mãos? Este homem não é o carpinteiro, filho de Maria e irmão de Tiago, de Joset, de Judas e de Simão? Suas irmãs não moram aqui conosco?’ E ficaram escandalizados por causa dele. Jesus lhes dizia: ‘Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares’. E ali não pôde fazer milagre algum. Apenas curou alguns doentes, impondo-lhes as mãos. E admirou-se com a falta de fé deles.

Padre Pio nos diz que Deus não opera prodígios onde não há fé. Sempre que vemos relatos nos evangelhos em que Jesus opera grandes milagres ele diz: “Vai, a tua fé te salvou.” A fé é necessária para que o milagre aconteça. Claro que Deus pode tudo, Ele é onipotente, o Deus do impossível, mas ele quer que façamos a nossa parte. Ele pode fazer tudo sozinho, mas não quer, quer que colaboremos na obra salvífica, quer que demonstremos fé para que ele opere prodígios. Este trecho do evangelho que relembramos hoje diz que Jesus não realizou nenhum grande milagre em Nazaré, que só fez ali pequenas curas e admirou-se com a falta de fé das pessoas. Se não tem fé, também não tem milagre. Seus parentes e familiares não tinham fé de que Ele, o filho do carpinteiro pudesse realizar milagres. Assim também acontece conosco, em nossas famílias. Quando pregamos a palavra de Deus, quando ensinamos, exortamos, falamos em programas de rádio, as pessoas são tocadas e transformadas, mas em nossa casa não surte muito efeito, ninguém dá valor.

Pelo contrário, só te desprezam, criticam, provocam, ofendem, e menosprezam. Em quase cinco anos que este programa está no ar, quantas vezes um familiar nosso ouviu? Nossos amigos mais íntimos? Talvez, no máximo uma vez para ter motivos para falar mal. Não estou sendo pessimista, mas realista. Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares, diz o evangelista.

Tem um ditado que diz: “Quanto mais rezo, mais assombração me aparece”. Eu nunca acreditei nesse ditado, pois a oração transforma vidas e faz com que tudo aquilo que nos assombra desapareça, mas parece que dentro da nossa casa, dentro da nossa família, quando você convive com pessoas que são indiferentes à fé católica, quanto mais rezamos, mas incomodamos essas pessoas e as assombrações aparecem. Aparecem em forma de discórdias e quanto mais você procura pacificar, mais complicada a coisa fica.

Faz mais de 3 anos que meu pai não fala comigo e as pessoas ficam admiradas, como uma pessoa como você, franciscano, um homem tão religioso, que tem vida de oração não consegue resolver essa situação com teu pai? Um profeta só não é estimado em sua pátria, entre seus parentes e familiares. Meu pai que me expulsou de casa quando eu era criança forçando-me a mudar para Curitiba e morar na casa dos meus avós, agora depois de velho me expulsou novamente faltando poucos dias para o meu casamento. Deus não opera prodígios onde não há fé, diz padre Pio. Tanto que nós rezamos a vida inteira pela conversão dele, mas se ele não tem fé, se ele acha tudo uma palhaçada, se ele escarnece de nós quando fazemos uma oração, como Deus vai transformar a vida dele? Se continuamos nessa situação sem nos falarmos, é porque respeito a decisão dele e prefiro ficar longe. Eu tenho fé, mas a minha fé não basta, ele também precisa acreditar e abrir o coração para Deus. Não por medo da morte como fez quando enfartou, mas por amor.

Por outro lado, sabemos que por mais que as pessoas tenham fé, os milagres não acontecerão se elas estiverem fora da Igreja Católica. O milagre é uma forma de assinar qual é a verdadeira Igreja, fundada por Jesus. É o caso dos corpos incorruptos que só encontramos na Igreja Católica.

Um verdadeiro Milagre, só é considerado como tal, depois que forem estudados os testemunhos pessoais envolvidos, provas materiais, fotos e cada fato relacionado ao possível milagre. A Igreja só se manifesta oficialmente quando todas as possibilidades de fraudes forem investigadas e descartadas. Diferentemente de certas igrejinhas pseudoevangélicas que fazem teatro, armam um circo em torno de falsas curas com atores muito bem pagos para encenar na televisão.

Que assim seja,

Amém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *