fundo parallax

Não nos preocupemos quando Deus põe à prova a nossa fidelidade.

E19T03 – Eles querem destruir a família
7 de maio de 2018
Os detratores tem veneno na língua e envenenam os outros
7 de maio de 2018
 


Não nos preocupemos quando Deus põe à prova a nossa fidelidade. Confiemo-nos à Sua vontade; é o que podemos fazer. Deus nos libertará, consolará e encorajará.

E Deus disse a Abraão: “Toma agora o teu filho, o teu único filho, Isaque, a quem amas, e vai-te à terra de Moriá, e oferece-o ali em holocausto sobre uma das montanhas, que eu te direi”. Isaque era o filho da promessa. Abraão e Sara eram idosos e ela era estéril, mas Deus prometeu a eles um filho e quando este filho já havia crescido, Deus ordenou que Abraão o sacrificasse. E Abraão obedeceu. Abraão levantou-se de madrugada e foi prontamente oferecer o que ele tinha de melhor ao Senhor, seu filho Isaque. “Não toque no rapaz”, disse o Anjo. “Não lhe faça nada. Agora sei que você teme a Deus, porque não me negou seu filho, o seu único filho.”

Não nos preocupemos quando Deus põe à prova a nossa fidelidade, diz padre Pio. Abraão não se preocupou quando Deus o colocou à prova, pois sabia que fazer a vontade de Deus é sempre o melhor, mesmo quando isso poderia lhe custar a vida do próprio filho. Deus sabia que Abraão era fiel e mesmo assim o colocou à prova, porém Abraão nem titubeou, não murmurou contra Deus, não blasfemou, pelo contrário, fez tudo exatamente como Deus pediu.

Confiemo-nos à Sua vontade; é o que podemos fazer, continua padre Pio. Abraão confiou na vontade de Deus. O que mais ele poderia fazer? Deus deu, Deus pode tirar. Nada é nosso. Nada nos pertence, nem nós mesmos não nos pertencemos. Somos escravos do Senhor. Tudo pertence à nosso Senhor e é nosso dever de escravos inúteis sempre e em todas as coisas fazer a vontade de Deus, nosso Senhor. E padre Pio finaliza sua frase dizendo que Deus nos libertará, consolará e encorajará . Deus libertou Abraão do fardo de ter que sacrificar o próprio filho. Deus o consolou mostrando-lhe um cordeiro para o sacrifício e o encorajou a sempre mais confiar na palavra de Deus.

Alguns exegetas usando de vários recursos matemáticos e historiográficos calculam a idade de Isaque no dia do sacrifício, mas não chegam em um acordo sobre isso, mas alguns teólogos, embora sempre vejamos nos filmes Isaque como uma criança, afirmam que ele teria 33 anos, ou seja, a idade de Cristo. Desta forma faríamos uma analogia do sacrifício de Isaque (que não chegou a ser concretizado) com o sacrifício de Cristo. Sacrifício único, irrepetível e definitivo. Deus provou a fidelidade de Abraão, mas não permitiu que ele sacrificasse seu filho único, por outro lado, Deus sacrificou seu filho único, Jesus, para a salvação da humanidade em sinal de Sua fidelidade, formando uma aliança definitiva e eterna.

Deus nos prova a cada momento. Nas pequenas coisas, do nosso dia a dia. Somos provados, somos testados. Será que estamos sendo fiéis à Deus? Se sou fiel no pouco, Ele me confiará mais. E quanto mais Ele me confiar mais serei provado. Mas quando vierem as grandes provações (lembrando que São Paulo nos diz que não seremos provados acima de nossas capacidades), aquelas perseguições das quais nos fala o evangelho, não devemos nos preocupar. Devemos ser fiéis e confiar na vontade de Deus, pois a vontade de Deus é sempre o melhor para nós em todas as circunstâncias, por mais que não tenhamos inteligência para entender isso. De fato, não podemos fazer nada além de confiar. E Ele nos libertará, consolará e encorajará.

Que assim seja,

Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *