fundo parallax

Agradeça a infinita piedade do Pai Eterno

Francisco de Assis e a “fides et ratio”
13 de agosto de 2018
E34T03 – Dogmas são verdade de fé
20 de agosto de 2018
 


Agradeça a infinita piedade do Pai Eterno



Nesta vida temos diversos pais. O nosso pai biológico, que juntamente com nossa mãe biológica nos deu a vida. Pode ser que você tenha tido um padrasto, alguém que se casou com sua mãe depois de ela ter separado-se do seu pai, mas um homem que foi tão bom pra você que foi mais pai do que seu pai biológico. Temos também nosso padrinho de batismo que muitas vezes faz o papel de pai. Outro grande homem em nossas vidas é o avô que sendo pai do seu pai ou pai da sua mãe sempre ajudou na sua educação e você o considera como pai. E quantos são criados pelos avós, não é mesmo? Outras vezes quem faz este papel de pai é um tio ou até mesmo um amigo mais velho. O padre também é um pai, um pai espiritual. Não é a toa que a palavra padre significa pai em espanhol. Também o Papa é um pai para nós católicos e a palavra vem do italiano e também significa pai. Alguns de nós, escolhe um sacerdote para ser eu orientador espiritual e este orientador é como um pai. Os monges no mosteiro tem o Abade que faz o papel de pai para eles. Abade vem de Abba, que em hebraico significa pai. Entre os professores que tivemos ao longo da vida, muitos deles tiveram a importância de um pai para nós. E assim por diante. Mas todos eles são mortais. Todos passarão. Todos vão morrer um dia. O único Pai que é Eterno é o Pai do céu.

Francisco de Assis foi um homem que percebeu que as coisas espirituais são mais importantes do que as terrenas. Que as coisas eternas são mais importantes do que as temporais. De tal modo que chegou a renunciar a tudo que veio do seu pai na terra, Pedro di Bernardone para ter apenas um pai, o Pai nosso que está nos céus. E para tanto ficou nu em praça pública devolvendo ao pai da terra até a roupa do corpo. Aqui no Brasil, há uma forte devoção popular à imagem do Divino Pai Eterno. Não que eu seja contra esta devoção, mas há alguns pontos que não concordo. Em primeiro lugar, se há apenas um Pai Eterno, pois os outros são temporais, e esse Pai Eterno é Deus, chamar de Divino Pai Eterno é uma redundância. Em segundo lugar, nunca ninguém viu o Pai, nós vimos Jesus que é a imagem do Pai, mas o Pai mesmo, ninguém viu para poder esculpir ou pintar o seu rosto, portanto uma imagem de Deus Pai é coisa que eu, particularmente não concordo.

Mas agora que ficou bem claro para nós quem é o Pai Eterno de quem padre Pio fala, vamos retomar a frase. Padre Pio começa dizendo a palavra “agradeça”. Agradecer, ser grato, coisa muito rara hoje dia. As pessoas não dizem mais “muito obrigado”, perderam a noção do que é estar muito obrigado ao outro. Acham que as pessoas tem obrigação de nos fazer as coisas. Nós franciscanos seculares agradecemos a tudo, até mesmo quando alguém nos maltrata. Sempre dizemos: “Muito obrigado, Deus abençoe” e é interessante, queria abrir este parênteses aqui, porque as pessoas não sabem o que responder quando dizemos “Deus abençoe”. Precisamos ser gratos, ter este sentimento de gratidão para com as pessoas que nos cercam, mas principalmente gratidão para com o Criador que nos deu a vida e fez tudo o que existe só para nós. Gratidão para com um Deus que enviou seu filho único para morrer em uma cruz por amor de nós. Gratidão a um Deus que nos dá a filiação adotiva e nos permite chamá-lo de Pai.

Agradeça, diz Padre Pio. E nós só queremos pedir as coisas para Deus e nunca estamos contentes. Murmuramos, reclamamos e pedimos cada vez mais, nos esquecendo de agradecer por tantas coisas maravilhosas que Deus opera a cada dia em nossas vidas.

E padre Pio nos lembra que devemos agradecer a infinita piedade de Deus. Deus é misericordioso e piedade significa ter dó dos sofrimentos dos outros, ter compaixão e muito mais do que isso, sofrer junto. Deus sofre junto conosco, Deus se compadece de nós e sua piedade é infinita, ou seja, não tem fim, nunca vai acabar, por mais pecadores que sejamos. Não importa pelos caminhos que andamos, não importa os pecados que cometemos, Deus sofre junto conosco, sua piedade, sua misericórdia é infinita. Ele está sempre pronto à nos perdoar e nos aceitar em seu convívio, como o pai que recebeu o filho pródigo. Portanto saibamos ser gratos a Deus por sua infinita misericórdia e creiamos que por maior que tenha sido nosso pecado a misericórdia de Deus irá triunfar ao juízo.

Que assim seja,

Amém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *