fundo parallax

Aprenda a sofrer sempre com maior perfeição

E35T03 – As provas da existência de Deus
28 de agosto de 2018
E36T03 – Ainda é possível ter uma família numerosa?
3 de setembro de 2018
 


Aprenda a sofrer sempre com maior perfeição



Só Deus é perfeito. Mas Ele mesmo nos pede para buscarmos a perfeição. Para nos aperfeiçoarmos a cada dia. E a perfeição só se atinge com a prática. Quando ouvimos alguém tocar violino lindamente, por exemplo, chamamos de virtuoso, pois atingiu a perfeição na execução de tal instrumento, mas dificilmente imaginamos quantas horas por dia ele treinou e treina. Quanto tempo de sua vida ele dedicou e dedica! É uma entrega. Só a prática pode levar a perfeição. E tem gente que quer ser santo, quer ir pro céu, sem rezar! Sem vida de oração, sem dedicar longas horas do dia à Deus jamais seremos santos.

Nesta vida temos muitas tribulações, muitos sofrimentos, muitas dificuldades. Jesus não prometeu paraíso a ninguém aqui nesta terra, mas disse que teríamos tribulações, tentações e cruzes. Aliás, foi o próprio Senhor que carregou sua cruz sem murmurar até o Calvário que nos disse: “Quem quiser ser meu discípulo, renuncie a si mesmo, tome sua cruz e siga-me”. Não há como seguir Jesus sem carregar a cruz. Não há como ir para o céu sem passar pela dor, pelos sofrimentos e para muita gente isso é difícil demais de entender.

Quanto mais compreender, aceitar e amar a ideia de que temos que nos aperfeiçoar nos sofrimentos. Sofrer mais santamente. Sofrer sem murmurar, sem se queixar e entregar todos os sofrimentos à Deus como forma de nos purificarmos e pagarmos a dívida temporal que temos por causa de nossos pecados. E ainda podemos oferecer nosso sofrimento pelas almas do purgatório. Se nós pudéssemos compreender o quanto o sofrimento é importante para nós iríamos querer sofrer o tempo todo e sofrer cada vez mais, e para isto basta lembrar tudo o que Jesus sofreu por amor da humanidade.

Nós precisamos aprender a sofrer e a nos alegrarmos com nosso sofrimento. Quantos santos receberam os estigmas. As feridas de Cristo em sua própria carne. Nas mãos, nos pés e no lado. Feridas abertas que não eram apenas aparência, não era algo simbólico, mas que sangravam noite e dia e doíam muito. E eles louvavam a Deus pela graça de sofrer um pouquinho daquilo que nosso Redentor sofreu por nós. É a graça de sermos corredentores. Portanto soframos com perfeição. Soframos com alegria. E ofereçamos nossos sofrimentos em reparação à tantas ofensas que os hereges causam ao sagrado coração de Jesus e ao imaculado coração de Maria.

Que assim seja,

Amém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *