fundo parallax

Delicado como era, São Francisco ordenou que esfregassem carne nas paredes

Francisco de Assis era todo de Maria
15 de outubro de 2018
E43T03 – O teológico mundo de Tolkien
22 de outubro de 2018
 


Delicado como era, São Francisco ordenou que esfregassem carne nas paredes



Francisco de Assis, nosso seráfico pai, tinha especial devoção pelo natal de Nosso Senhor Jesus Cristo e o Celebrava com incrível alegria, mais que todas as outras solenidades. As duas festas mais importantes para os cristãos são de fato, o natal e a páscoa, mas a Igreja considera a páscoa, a ressurreição do Senhor, ainda mais importante do que o natal. Porém, como cada um tem suas devoções particulares, são Francisco era devoto do natal. Era um tempo muito especial para ele. Não é à toa que foi ele o autor do presépio em Greccio. Conta-se que quando o santo via uma imagem do menino Jesus, ele beijava e acariciava a imagem como se fosse o próprio menino e falava com ela como que usando linguagem de criança, balbuciando palavras. Quem sabe o próprio menino Jesus não estivesse em seus braços onde os companheiros viam apenas uma imagem, não é mesmo?

Certa vez o natal caiu em uma sexta-feira, que é um dia de penitência, dia em que a Igreja se abstém de comer carne e houve uma certa discussão se poderiam comer carne ou não, pois era sexta, mas ao mesmo tempo era natal, uma solenidade. Hoje sabemos que quando cai uma solenidade na sexta-feira, não se faz abstinência, mas talvez os frades, naquela época e com pouco estudo, não soubessem disso. É a mesma coisa em relação aos domingos. Domingo é dia do Senhor. Todo domingo é páscoa. Todo domingo é solenidade, por isso não devemos fazer penitência aos domingos, mesmo aos domingos da quaresma. Mas como houve essa confusão se poderiam ou não comer carne naquela sexta-feira de natal, Francisco interveio dizendo que por ser aquele o dia em que o Menino nasceu para nós, ele queria que até as paredes comessem carne. E se elas não pudessem, como de fato não podem, pelo menos fossem esfregadas com carne. Com isso o santo quis dizer que era um dia de muita alegria.

Nos dias de festa, devemos mesmo deixar a nossa alegria transparecer, não é uma alegria do mundo, mas a alegria que vem do Senhor. E nos dias de penitência e quero aproveitar, pois estamos chegando na quaresma, amanhã já é quarta-feira de cinzas, ninguém precisa saber que você está jejuando. Ninguém precisa saber que você está fazendo abstinência. Faça seu jejum, faça sua abstinência, viva uma santa quaresma sem precisar contar aos quatro cantos do mundo e em nossos dias tecnológicos, sem postar em todas as redes sociais. Se tiver que chorar, chore a paixão do Senhor, como fazia frei Francisco, chore com dolorosos soluços a lembrança da pobreza da Virgem bem-aventurada e as privações de Cristo seu Filho, mas o faça sem chamar a atenção de ninguém.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *