fundo parallax

Inocêncio III aprova a regra de vida Franciscana

“Os santos tem sempre razão! É inútil discutir com eles”
10 de dezembro de 2018
E50T03 – A mulher deve ser “submissa” ao marido?
10 de dezembro de 2018
 


Inocêncio III aprova a regra de vida Franciscana



Quando nosso seráfico Pai, São Francisco foi morar com os pobres e os leprosos do lado de fora dos muros da cidade, mendigando e pregando a palavra de Deus com humildade e simplicidade, anunciando a todos a conversão dos pecados e uma vida de penitência na paz de Nosso Senhor Jesus Cristo, muita gente não viu com bons olhos. Achavam que Francisco estava louco. Seu pai, Pedro de Bernardone, o quis aprisionar tentando persuadi-lo a mudar de idéia. Mas aos poucos o Senhor foi dando irmãos a Francisco e a ordem foi crescendo em número, pois muitos jovens sentiam-se impulsionados a abraçar este estado de vida. Não demorou para que alguns poderosos, incomodados com as obras que Deus estava realizando através do poverello de Assis, o acusassem de heresia ou até mesmo de estar fundando uma nova igreja, já que não era raro as pessoas deixarem de ir a missa na catedral para participar das celebrações com Francisco e o pobres.

Então Francisco escreve uma regra de vida para os irmãos. Claro. Iria crescer tanto a ordem, que seria preciso um estatuto para reger a vida dos frades. Francisco baseia-se fundamentalmente nas palavras do Santo Evangelho, mas também escreve algumas outras orientações que se faziam necessárias. Se formos analisar historicamente como vivia o clero no século XIII, perceberemos o quanto contrastava com a forma de vida penitente de Francisco e seus irmãos. Não obstante, estando Francisco em Roma, alguns bispos tentaram convencê-lo a abraçar a vida monástica ou outra já aprovada eclesiasticamente. Dificilmente seria possível acreditar que o Papa aprovaria a regra. E muitos escarneceram de Francisco por isso.

Geografia não é o meu forte, mas creio que foi uma caminhada de cerca de 200km até Roma. Exemplo de determinação e perseverança. De acreditar que está fazendo a vontade de Deus. E Francisco rebeceu a benção do Papa Inocêncio III. A Igreja estava com Francisco. Francisco estava com a Igreja. Nunca passou pela cabeça dele criar uma ruptura. Por ser humilde e não soberbo. Não orgulhoso. Francisco de Assis foi um homem que não fez uma simples reforma na Igreja, mas sim uma revolução. Diferente de homens como Lutero, que inflamados de orgulho, e guiados por ideais mais humanos do que divinos, preferiram romper com o Papa do que aceitar humildemente e amar a Santa Obediência.

Francisco passou por muitas provações, por muitas privações e até sentiu na própria carne as dores do Cristo Crucificado. Mas Deus o cumulou de graças e fez a Ordem crescer como havia prometido. Que também nós, possamos abraçar a Santa Obediência, com simplicidade de coração, com humildade e com sincero desejo de agradar a Deus e não aos homens.

Que assim seja.

Amém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *