fundo parallax

Queira o dulcíssimo Jesus conservar-nos na Sua graça e dar-nos a felicidade de sermos admitidos, quando Ele quiser, no eterno convívio.

E29T02 – Silêncio
18 de julho de 2017
Francisco de Assis renunciou a toda glória que não tivesse o sabor de Cristo.
18 de julho de 2017
 


Queira o dulcíssimo Jesus conservar-nos na Sua graça e dar-nos a felicidade de sermos admitidos, quando Ele quiser, no eterno convívio.

Quantas pessoas morrem todos os dias! Basta abrirmos os jornais para encontrarmos assassinatos, suicídios, acidentes, infartos fulminantes e isso sem falar nas pessoas que ficam gravemente enfermas e acabam deixando esta vida. Às vezes me pergunto: “será que estas pessoas estavam preparadas para morrer? Será que nós, estamos preparados para morrer?” Desde o dia em que nascemos, cada minuto é um minuto a menos nesta vida. E a cada dia que passa estamos mais perto de morrer. Pode parecer um pensamento fúnebre, mas é uma realidade da qual ninguém pode escapar. Você abraçou seu pai hoje? Sua mãe? Seus filhos? Seus irmãos? Seus amigos? Pois pode ser que amanhã eles já não estejam entre nós e só quem já perdeu alguém a quem muito se amou, sabe o tamanho desta dor. Os que ficam sofrem, mas tem a certeza de que esta vida é só uma passagem, porém uma passagem pra onde? Para a vida eterna ou para a condenação eterna? Padre Pio nos diz que oxalá Jesus possa nos conservar na Sua graça, pois se não estivermos na graça de Deus na hora da morte, só Deus sabe o que será de nossa alma. Ele é o justo juiz.

Antigamente dizia-se enfaticamente que os suicidas iam direto para o inferno. Mas quem somos nós para julgar? Sabe-se lá o que levou esta pessoa a cometer tal ato. Sabe-se lá se no momento agonizante da morte, ela não se arrependeu de seu pecado. Precisamos nos libertar do pecado e viver na graça de Deus. Não deixe para amanhã. Diga não ao pecado hoje. E viva cada dia como se fosse o último. Sabemos sim que Deus é misericordioso e queremos acreditar que a misericórdia irá triunfar sobre o juízo, mas sabemos que para o céu só irão aquelas almas que estiverem em estado de graça, as demais se conseguirem escapar da condenação eterna, irão para o purgatório. O catecismo da igreja católica em seu número 1030 diz que: Os que morrem na graça e na amizade de Deus, mas não estão completamente purificados, embora tenham garantida sua salvação eterna, passam, após sua morte, por uma purificação, a fim de obter a santidade necessária para entrar na alegria do Céu.

Sei que estou longe de ser santo. Sei que sou um miserável pecador, mas não quero ir para o inferno. Quero buscar a graça de Deus para ter garantida a salvação mesmo tendo que passar por uma purificação que eu compreendo que é necessária. Padre Pio diz que se estivermos na graça de Deus, Jesus pode querer dar-nos a felicidade de sermos admitidos no eterno convívio. Eu vejo isso como um sonho. Ter a felicidade de morrer na graça de Deus para ir para o céu, mas sei que para morrer na graça de Deus antes é necessário viver na graça de Deus. Dar adeus ao pecado e lutar a cada dia pela conquista da santidade. Viver sem ofender a Deus. Precisamos ser fortes. Precisamos não só abandonar os pecados graves, mas também os veniais. Entendemos que é justo pagarmos no purgatório pelos nossos erros cometidos, mas quem sabe a misericórdia triunfando o juízo possamos ir direto para o céu. No meu caso, como ainda estou muito longe de ser santo, rezo para que a misericórdia triunfe o juízo e eu possa padecer no purgatório até ser digno do eterno convívio.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *