parallax background

Convém fazermos grandes esforços para tornarmo-nos santos

O objeto de nossa inveja é esterco
24 de abril de 2017
E17T02 – A igreja de Constantino
24 de abril de 2017

Convém fazermos grandes esforços para tornarmos-nos santos

A canonização atesta aqui na terra, uma coisa que já se sabe lá nos céus, ou seja, que uma pessoa é santa. Os processos de canonização são deveras demorados e meticulosos, mas há pessoas que já são santas em vida e que inclusive já realizam fatos extraordinários em vida. Como São Francisco de Assis, Santo Antônio de Santana Galvão e o próprio Padre Pio.

Padre Pio diz que precisamos nos esforçar muito para nos tornarmos santos, mas aqui não se está falando em santos dos altares, em santo canonizado pela Igreja, e sim, de viver uma vida de santidade aqui na terra, para merecer o reino dos céus. Pois não se engane meu irmão, minha irmã, nos céus só entra santo.

A teologia protestante diz que entraremos nos céus mesmo pecadores, mas revestidos da graça de Deus. Ora, isso é mero engano. No reino dos céus não entram pecadores, precisamos primeiro nos purificar de nossos pecados, para isso existe o purgatório, não como um lugar físico propriamente dito, mas como um estado de purificação da alma.

Existe um texto muito conhecido que circula pelas redes sociais e que é atribuído a São João Paulo II como uma carta aberta aos jovens. Já procurei muito para saber se o texto é mesmo dele. Saber data e ocasião em que foi escrita a tal carta, mas ainda não encontrei nada. Alguns dizem que é lenda. Portanto se alguém tiver essa informação, peço por gentileza que a repasse a mim. Mas mesmo se a carta não for dele, não deixa de ser um texto muito bonito que fala que precisamos de santos do dia a dia, ou como o próprio texto chama: “santo de calça jeans”.

Não vou reproduzir o texto aqui, pois sei que ele já é bastante conhecido, mas gostaria de citar o finalzinho que diz assim: “Precisamos de Santos que estejam no mundo; e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos”. Não sejam mundanos, este é o caminho para a santidade.

Para ser santo não precisa se esconder do mundo. Não precisa se trancar e se isolar de todos. Mas na vida cotidiana, saber se vestir, saber usar seu vocabulário, saber se relacionar com as pessoas fazendo coisas normais, mas nunca mundanas.

Quando padre Pio fala em grandes esforços, podíamos imaginar que ele estivesse falando em muitas horas de oração e adoração diárias e longos jejuns. Isso também é importante, mas não só isso. Precisamos santificar as nossas ações do dia a dia. Ao ir para o trabalho ou para a escola ou faculdade. Pequenas gentilezas no trânsito ou na fila do caixa no supermercado. Bom dia, boa tarde, boa noite. Um sorriso no rosto. “Por favor, muito obrigado, com licença”. Esperar sua vez, fazer o bem sempre e não se deixar enganar pelas coisas do mundo. Mas também defender a sua fé católica com unhas e dentes. Não permitir que ofendam o sagrado coração de Jesus e sua mãe, Maria Santíssima. Comungar Jesus Sacramentado nosso Deus amado, com toda a potência de tua alma. Mostrar ao mundo que você é feliz porque tem um Deus que te ama e que Ele é a pessoa mais importante da tua vida. Isso é ser santo.

Que assim seja. Amém.

Os Cooperadores
Os Cooperadores
Apologética Católica pela Hermenêutica da Continuidade. Apostolado pertencente ao Centro de Estudos São Francisco de Sales, de Itajaí/SC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *