parallax background

Da parte de Deus e por ordem de nosso pai Francisco, ide embora para longe daqui, diabos todos!

28 de fevereiro de 2017
A virgem Maria está sempre pronta a nos socorrer, mas por acaso o mundo a escuta e se emenda?
28 de fevereiro de 2017
E06T02 – Camisinha e sífilis
28 de fevereiro de 2017

Expulsar demônios não é coisa simples. Jesus disse que para isso é necessário muito jejum e muita oração. Não é coisa para qualquer um. Jesus deu este poder e autoridade para os apóstolos. Em atos dos apóstolos, capítulo dezenove, versículos de treze a dezessete diz que: “Alguns judeus exorcistas que percorriam vários lugares inventaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que se achavam possessos dos espíritos malignos, com as palavras: ‘Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega’. Assim procediam os sete filhos de um judeu chamado Cevas, sumo sacerdote. Mas o espírito maligno replicou-lhes: ‘Conheço Jesus e sei quem é Paulo. Mas vós, quem sois?’ Nisto o homem possuído do espírito maligno, saltando sobre eles, apoderou-se de dois deles e subjugou-os de tal maneira, que tiveram que fugir daquela casa feridos e com as roupas estraçalhadas. Este caso tornou-se (em breve) conhecido de todos os judeus e gregos de Éfeso, e encheu-os de temor e engrandeceram o nome do Senhor Jesus”.

Este texto faz-nos entender que, quem não está preparado, ou melhor, quem não está autorizado não tem o poder de expulsar demônios. E não deveria nem tentar, pois é possível que seja ele mesmo possuído.

Na igreja nem todos os padres são exorcistas. Para ser exorcista é necessária toda uma preparação, toda uma caminhada específica. Então como se explica que certos pastorzinhos de comunidades eclesiais pseudoevangélicas expulsem demônios? Tudo encenação. Tudo combinado. Com atores previamente ensaiados e muito bem pagos.

Nós já estudamos aqui a respeito de como Francisco de Assis em diversas ocasiões realizou exorcismos. Sabemos que Francisco não era padre, mas sabemos também o quanto este homem era Santo, como fazia jejuns e mortificações e também como Jesus o visitava e o consolava. Ele era cheio da graça de Deus, repleto do Espírito Santo e por isso conseguia realizar tais feitos sem grande dificuldade. Mas o que gostaria de recordar hoje é que depois que Francisco teve uma visão de vários demônios sobre a cidade de Arezzo ele simplesmente mandou Frei Silvestre, um homem de Deus de santa simplicidade, e lhe deu ordem dizendo: “Vai à frente da porta da cidade e, da parte de Deus todo-poderoso, manda aos demônios que saiam de lá quanto antes!”.

Frei Silvestre obedeceu, sem hesitar, pois sabia que se fizesse tudo o que nosso seráfico pai mandasse, tudo daria certo. É esta fé, esta confiança em Deus que muitas vezes nos falta. Frei Silvestre tinha plena convicção que uma ordem de São Francisco era de fato a vontade de Deus. Ele clamou valentemente diante da porta: “Da parte de Deus e por ordem de nosso pai Francisco, ide embora para longe daqui, diabos todos!” E a cidade voltou à paz pouco depois.

Oxalá nós tivéssemos esta fé, esta confiança em Deus, para assim expulsar de nossas vidas tantos demônios: O demônio da luxúria, o demônio da preguiça, o demônio do conformismo, o demônio da dessacralização, o demônio da falta de modéstia ao vestir-se entre tantos outros. Que assim seja. Amém.

Que assim seja.

Amém.

Os Cooperadores
Os Cooperadores
Apologética Católica pela Hermenêutica da Continuidade. Apostolado pertencente ao Centro de Estudos São Francisco de Sales, de Itajaí/SC.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *