Demos graças àquele que parece que só precisa cuidar de nós

4

Que Deus providencia tudo o que precisamos, disso não tenho dúvidas. Eu creio na misericórdia de Deus e creio na sua divina providência. Deus provê, Deus proverá, sua misericórdia não faltará. E é até fácil entender como Deus providenciou que aquele homem que o frade encontrou sentado junto à porta oferecesse o pano para a confecção das túnicas já no dia seguinte depois de Francisco ter manifestado o seu desejo de conseguir um pedaço de tecido.

Mas o que eu acho intrigante é o fato de nosso seráfico Pai, Francisco de Assis estando vestindo uma túnica velha, estar descontente com ela e pedir a um de seus companheiros que lhe arranjasse fazenda para fazer uma túnica nova. Isso parece estranho, não parece? Por que afinal o pobrezinho de Assis iria querer uma túnica nova? Ele que sempre quis ser o mais pobre de todos. Não parece coerente que ele estivesse descontente com sua túnica velha. O Santo de Deus profetizou sobre aquele homem que queria doar o tecido. E que desejava fazer isso para a salvação da sua alma como ele mesmo disse: “Por amor de Deus, recebe esta fazenda para fazer seis túnicas, guarda uma para ti e distribui as outras como te aprouver, pela salvação de minha alma”. Nosso angélico Pai por conhecer a pobreza no coração de seus filhos, sabia que se tal homem aparecesse na porta do convento oferecendo o tecido, eles iriam recusar, mas também sabia que se ele manifestasse o desejo de uma túnica nova antes que aparecesse tal homem, quando
o fato ocorresse, eles iriam aceitar. Então de repente tudo fica claro para nós. O poverello de fato não queria uma túnica nova. Não queria um pedaço de pano, mas queria salvar a alma daquele pobre homem que acreditava no íntimo de seu coração que seria salvo se fizesse aquela doação.

Se Francisco previsse que no dia seguinte alguém iria pedir pelo amor de Deus que aceitassem uma oferta, por exemplo, de frangos que este alguém queria doar, nas vésperas teria dito a seu companheiro que estava com vontade de comer frango. Ou seja, Francisco não fez isso por ele mesmo, não porque estivesse descontente com sua túnica velha, mas para ajudar aquele homem, que era rico e que queria encontrar uma forma de desapegar-se de seus bens materiais e que inspirado por Deus viu que poderia encontrar a salvação doando tecido suficiente para fazer seis túnicas.

Embora saibamos agora que tudo fez parte do espírito profético de São Francisco que usou da sabedoria divina para persuadir seu companheiro a aceitar a oferta e assim salvar aquele homem, percebemos aqui também a providencia divina que nunca permitiu que nada faltasse aos frades amigos de Deus. E como disse São Francisco: “Demos graças àquele que parece que só precisa cuidar de nós”.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.