Deus enriquece a alma que de tudo se desapega.

119

Vivemos em uma época em que é muito comum as pessoas se deixarem enganar pela teologia da prosperidade, onde foi colocado de lado o Deus dos milagres para enaltecer apenas os milagres de Deus. Semelhantemente às culturas pagãs onde o fiel faz uma oferenda à divindade, o cristão tem oferecido o dízimo para receber algo em troca. Outro dia assisti a um vídeo na internet onde numa dessas igrejinhas, um fiel dava um testemunho: Ele dizia que devia uma grande quantia de dinheiro ao banco, mas que comprou uma toalhinha abençoada na Igreja e que a noite, quando não havia ninguém na rua, ele foi até a porta do banco e esfregou a toalhinha na fechadura da porta, como se esfrega a lâmpada do gênio né? No dia seguinte ele teria retornado ao banco e verificou que não estava devendo mais nada.

Eu me pergunto: Quem será que é tão idiota ao ponto de acreditar numa tolice dessas? Quem pode ser tão cego pra não perceber que tudo isso é armação para que mais e mais pessoas comprem a tal toalhinha e assim eles montam um circo usado para convencer o povo a fazer ofertas astronômicas. Num conhecido canal de TV, sempre tarde da noite vemos estes testemunhos. De pessoas que dizem ter perdido tudo. Casa, carro, emprego e etc. e que depois de terem feito uma grande oferta, depois de terem feito um grande propósito, depois de terem participado de uma fogueira Santa, teriam prosperado. Agora tem três carros, duas casas, viraram empresários e estão nadando em dinheiro. Faça-me o favor né? Os únicos que nadam em dinheiro realmente são os pastores dessas pseudo-igrejas.
Jesus disse no capítulo dez do evangelho escrito por Marcos, versículo vinte e um: Vai, vende tudo o que tens e dá-o aos pobres e terás um tesouro no céu. Depois, vem e segue-me.

Para seguir Jesus é preciso se desapegar do mundo!
Veja que Jesus não prometeu paraíso a ninguém nesta terra, nem riquezas, pelo contrário, Ele disse para vendermos tudo, doarmos todo o dinheiro aos pobres, ou seja para nos desapegarmos de tudo o que é material, de que tudo o que pode nos afastar do amor de Deus, de todos os ídolos, de tudo aquilo que poderia tomar o lugar de Deus em nossas vidas, para depois segui-lo e a recompensa, a teremos no céu. Terás um tesouro no céu, disse Jesus. E não aqui na terra. Não aqui nesta vida, e sim, na vida eterna.

Francisco de Assis tinha tudo, mas não tinha nada. Era rico, mas sua alma era vazia, sem Deus. Queria ser um cavaleiro, ir lutar nas cruzadas, mas ainda não tinha se dado conta de que deveria servir a Deus e não aos homens. Até o dia em que ele entendeu. Entendeu e ficou nu diante de toda a cidade de Assis. Em praça pública. Na frente de seu pai, Pedro de Bernardone e do bispo. E assim, negando ao direito a herança de seu pai, foi viver com os pobres, com o leprosos, com os marginalizados e mendigando com eles teve a sua alma enriquecida por Deus e mereceu a vida eterna.

Padre Pio diz: Deus enriquece a alma que de tudo se desapega. Enriquece a alma, não o corpo. E só enriquece a alma daquele que de tudo se desapega. Quem vive apegado as coisas, ao dinheiro, aos bens materiais, é mesquinho, é egoísta, é avarento e por isso mesmo tem uma alma pobre. Quando Jesus diz que é difícil um rico entrar no reino dos céus, não quer dizer que o fato de você possuir bens materiais vai te impedir de ir pro céu, mas sim, o fato de você ser apegado as coisas e assim se esquecer de Deus, se esquecer de ajudar o próximo e pensar cada vez mais apenas no seu próprio umbigo. É o que fazem os adeptos da teologia da prosperidade, pois se eu vou na Igreja com o firme propósito de ficar rico, e eu faço um desafio com Deus, uma fogueira santa, como se Ele tivesse a obrigação de me dar tudo aquilo que eu quero, na verdade eu estou criando dentro da minha cabeça um deus que não existe. Um deus que certamente não é o Deus de Jesus Cristo. Estou criando um ídolo, um demônio. Um espírito que irá me encher de tesouros nessa vida, mas que isso poderá custar a minha alma.

Nos desapeguemos de tudo. Do bens materiais, do dinheiro, e de tudo aquilo que nos afasta de Deus. E só assim poderemos amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a nós mesmos e assim cumprir o mandamento do amor que nosso Senhor Jesus Cristo nos deixou.

Que assim seja. Amém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.