Devemos rezar uns pelos outros como fazia São Francisco

4

Aqui está um fato interessante: O Abade do mosteiro de São Justino, da diocese de Perúsia pede a São Francisco que reze por ele. É algo muito comum entre os cristãos, pedir orações, pedir a intercessão. Rezar pelos outros e também contar com a oração dos outros. É muito comum ao nos despedirmos de alguém, pedirmos: “reze por mim”. E desde o início do pontificado do Papa Francisco, vemos como ele tem pedido ao mundo inteiro: “rezem por mim, não se cansem de rezar por mim”. Além de tudo, é também, um ato de humildade.

Mas talvez o Abade nunca pudesse imaginar que Frei Francisco faria isso imediatamente. Nosso seráfico Pai, quando se comprometia a rezar por alguém, não deixava pra depois, o fazia imediatamente. Eu aprendi isso com São Francisco também. Quando as pessoas me pedem oração, já rezo na hora. Sei que se deixar pra depois, acabo esquecendo. E há tanta gente que pede orações que além de rezar por cada uma individualmente, costumo também em minhas intenções das orações diárias acrescentar a seguinte intenção: “por todas as pessoas que se recomendaram a mim e que estou obrigado a rezar”. Portanto se você pediu orações pra mim há dez anos, estou rezando até hoje pelas suas intenções.

Acontece que a oração de Francisco de Assis tinha tamanha força, que o Abade chegou a desmaiar. Ele sentiu de repente um calor diferente e uma doçura que nunca tinha experimentado em seu espírito, tanto que ficou arrebatado. Sabemos que quando Francisco orava, ele entrava em êxtase, já vimos muitas vezes isso por aqui, mas é incrível saber que uma pessoa pudesse entrar em êxtase porque Francisco orou por ela.

Eu já vi algumas vezes em comunidades eclesiais neopentecostais e também no movimento católico denominado de renovação carismática, os servos ou obreiros, rezarem pelas pessoas impondo as mãos e elas repousarem, como assim eles chamam. Mas também já vi muitas vezes empurrarem as pessoas na intenção de forçar o tal repouso. Vale lembrar aqui que o Abade já tinha se afastado de Francisco quando nosso angélico Pai rezou por ele. E mesmo assim ele repousou no Espírito Santo.

Precisamos ser mais comprometidos com a oração. Orar sempre, orar sem cessar e orar muito pelas pessoas que nos pedem. Sigamos o exemplo de São Francisco. “Vou cumprir o que prometi”, dizia o Santo. E nunca deixava para depois, cumpria quanto antes o que tinha prometido.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.