O dinheiro que transformou-se em uma serpente

4

Nós sabemos que São Francisco exigia dos frades o desprezo ao dinheiro. Ele comparava o dinheiro ao esterco e dizia que ninguém poderia aceitar dinheiro. As doações que por ventura apareciam, podiam ser em comida pra ser dividida entre todos, mas nunca em dinheiro.

Ele diz que o dinheiro é o próprio diabo. Hoje queremos recordar em dois belíssimos exemplos, frades que tentaram convencer Francisco de que o dinheiro era necessário, mas o Santo de Deus mostrou como eles estavam errados.

No primeiro exemplo havia um frade se queixava que às vezes recebiam muitas pessoas ali naquela casa e não havia o suficiente para manter todos os noviços. Dessa forma queria convencer São Francisco de que era necessário guardar algum dinheiro para eventuais despesas. Mas o santo foi enfático. Disse que não poderiam de forma alguma desrespeitar a regra e disse ainda que num caso de extrema necessidade poderiam despir o altar da Virgem e tirar seus ornamentos, certamente para vendê-los ou trocar por alimentos. Disse ainda: “Podes crer que é melhor guardar o Evangelho de seu Filho e despojar o altar do que deixar o altar ornado e seu Filho desprezado. O Senhor mandará que alguém restitua à sua Mãe o que ela nos tiver emprestado”.

Particularmente acredito que eram duas coisas. Primeiro, a falta de confiança do frade na divina providência. Quem pensava em guardar dinheiro para o amanhã, não confia na providência de Deus que nos pede para viver o hoje sem se preocupar com o que comer ou o que vestir. E segundo, era o próprio demônio usando o frade para tentar o pobrezinho de Assis a descumprir a regra. (comentários)

No segundo exemplo havia um frade que seguia viagem com São Francisco e que ao encontrar uma mala com dinheiro, quis apanhá-la com a falsa piedade de dar o dinheiro aos pobres. O santo se recusou absolutamente e disse que aquilo era manha do diabo. Novamente aqui nós vemos duas coisas. Primeiro: Não se faz caridade com o chapéu alheio. Se o dinheiro não era deles, mesmo que tenha sido achado na rua, pertencia a alguém e sendo assim eles não poderiam dar aos pobres aquilo que não era seu. Ninguém dá aquilo que não possui. E segundo: vemos claramente satanás tentando enganar os frades para fazê-los descumprir a regra mais uma vez.

Mas Francisco não se deixa enganar pelo demônio e logo descobre que se trata de uma armadinha, ele diz ao frade: “Filho, não é lícito pegar o que é dos outros. Dar o que não é nosso é pecado e não merecimento”. Mas de tanto que o frade insistiu ele resolveu voltar, não para pegar o dinheiro, mas para mostrar para o frade que aquilo era um engano. Ficou orando de longe e quando se aproximaram da bolsa, não havia dinheiro algum e sim uma enorme serpente. Claro. Era o próprio demônio que finalmente pelo poder da oração de nosso seráfico Pai, se revelara.

Meus irmãos, quantas pessoas se deixam levar pelas tentações do demônio, não é mesmo? E o diabo sabe exatamente onde está a fraqueza de cada um. No caso dos frades estava em descumprir a regra, coisa que infelizmente acabaram fazendo depois que São Francisco morreu. Mas, e no meu caso, no teu, meu irmão minha irmã? Onde está a nossa fraqueza? Qual é o nosso calo? Qual é o ponto fraco que o demônio usa para nos tentar e muitas vezes acaba nos ludibriando e nos fazendo ceder? Muitos caem nas questões de sexualidade e afetividade, não é mesmo?

Mas hoje queremos falar mais especificamente sobre o dinheiro, e devemos lembrar que São Francisco tratava o dinheiro como esterco, como algo desprezível, como obra do demônio. Você já parou pra pensar como hoje em dia há uma idolatria em relação ao dinheiro? Um consumismo exacerbado, uma loucura incontrolável onde todo mundo só quer comprar, comprar, comprar e fazem de tudo por dinheiro. Matam, roubam, passam por cima, humilham as pessoas e parece que para ser feliz só se tiver dinheiro e montanhas de dinheiro. Esquecem-se de que a única coisa que pode nos trazer felicidade é Deus e mais nada. E cuidado, pois o seu dinheiro idolatrado pode transformar-se em uma serpente.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.