O frango que se transformou em peixe

4

Para terminarmos nossos estudos sobre a mendicância e entendermos como pedir esmolas era algo significativo na vida de São Francisco de forma a ele aconselhar aos frades esta prática e também a todos os homens e mulheres de boa vontade fazendo com que todos entendessem que a humilhação é necessária, que o dinheiro é esterco e que na mendicância está também a oportunidade de pessoas de corações duros praticarem o bem, vamos analisar apenas alguns elementos. Para ele, esmolar visava mais o proveito das almas que o sustento do corpo, e era exemplo para todos quando dava e quando recebia. E hoje nós vamos lembrar do frango que se transformou em peixe.

Quando Francisco estava muito doente, viajou para Assis acompanhado de uma delegação de cavaleiros. Chegaram a uma vila paupérrima, chamada Satriano e os cavaleiros foram comprar alguma coisa para comer, mas nada encontraram. Frei Francisco os convenceu a pedirem esmolas e eles foram. Conseguiram muita coisa, pois o amor de Deus vale muito mais que o dinheiro. O santo de Deus mostrou aqueles cavaleiros que eles não devem colocar a sua confiança no dinheiro. Eles tinham muito dinheiro, mas nada puderam comprar. O dinheiro não serviu pra nada. Mas quando se humilharam e pediram esmolas por amor de Deus as pessoas até competiam entre si para ver quem iria servi-los. Outro ponto interessante que eu gostaria de destacar é como nosso seráfico pai se referia a Jesus. Ele o chamava de o grande Esmoler. Jesus é Deus que se fez homem. Ele sendo Deus, se humilhou fazendo-se um de nós, assumindo a nossa condição humana e morrendo numa cruz esmolou o nosso amor, Ele que é o Amor. O amor que não é amado. Francisco diz que Ele dá com clemente piedade aos dignos e aos indignos. Faz chover sobre os justos e também sobre os injustos.

Sabemos como o demônio pode usar as pessoas para maquinar perversões usando de um falso ato de humildade, pois ele pode até mesmo revestir-se em anjo de luz para enganar os fracos. Tomás de Celano diz que quando Francisco estava comendo em casa de um homem que temia a Deus e tinha muito boa fama que o havia hospedado e que por insistência e obediência ao Santo Evangelho pediu ao frade que comesse de tudo que lhe fora servido, entrou um filho das trevas. Um homem totalmente destituído da graça, mas que naquele momento se fingia de mendigo para disso tirar proveito.

Tal homem entre lágrimas implorava uma esmola por amor de Deus. O poverello pegou um pedaço de frango com toda a boa vontade, colocou-o num pão e o deu ao pedinte. Mas o astuto não comeu, pois não era fome de comida que ele sentia e sim de caluniar o homem de Deus.

No dia seguinte, quando Francisco pregava, aparece o falso mendigo chamando a atenção de todos para que olhassem para o pedaço de frango que tinha recebido na noite anterior. Ora, qual era a intenção dele? Todos sabiam que Frei Francisco era um homem penitente, que pedia esmolas e jejuava muito. Ele pregava muito sobre isso, mas vivia o que pregava. Evitava sempre os banquetes, mas por outro lado, para não fazer desfeita, aceitou comer o que fora oferecido na casa daquele bom homem que pediu-lhe para que de acordo com o Evangelho comesse de tudo o que lhe fora servido.

Isso me faz recordar de um fato ocorrido há muitos anos, quando eu participava de grupos de jovens. Era um dia em que eu estava jejuando e no vai e vem pra lá em pra cá com a turma do grupo de jovens, acabamos na casa de uma garota do grupo que estava fazendo aniversário. Começaram a servir doces e salgadinhos e eu sempre recusava com delicadeza. Eu não havia contado pra ninguém que eu estava jejuando, mas, um jovem do grupo me chamou em um canto e disse: “irmão, não convém jejuar numa festa em que todos os teus irmãos se alegram. A desfeita ofende mais ao Senhor do que a quebra do teu jejum”. Estou narrando isso só pra ilustrar como entendo perfeitamente que Francisco não estava comendo por fome ou por gula, mas apenas para não ofender o dono da casa que o acolhera. Mas o demônio em sua astúcia, já se aproveitou deste fato e usou aquele homem desgraçado para preparar uma armadilha para o santo. Fingir-se de mendigo e ir esmolar justamente na casa em que Francisco estava, e justamente no dia em que ele estava comendo em uma mesa farta. Muitas coincidências não é mesmo?

Mas ao mostrar para multidão o pedaço de frango na intenção de desmoralizar São Francisco, foi tido como louco ou possesso, pois o que ele chamava de frango era na verdade um pedaço de peixe. Até ele, coitado, espantado com o milagre, foi obrigado a confessar o que todos estavam vendo.

Ele caiu no próprio laço que armou. De caçador passou a caça. E é este o destino daqueles que perseguem os filhos de Deus. Se Deus é por nós, quem será contra nós? Se estamos do lado do bem, se somos filhos da luz, por mais astutos que sejas os filhos das trevas, eles não conseguem nos derrubar, pois estamos do lado da verdade e a verdade é Jesus.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.