São Francisco e a mendicância

8

Nosso angélico pai, Francisco, via no ato de mendigar, de humilhar-se por um pedaço de pão, algo que era agradável aos olhos de Deus. Muitos não entendiam na época e outros não entendem até hoje. Mas, mesmo incompreendido, Francisco não abandonava aquela que era considerada a sua esposa: a senhora dama pobreza.

Jesus Cristo é Deus que se fez homem, Ele é eterno e existe desde todos os séculos. É a segunda pessoa da Santíssima Trindade. E sendo Deus, resolveu fazer-se homem e viver como um de nós. Dá pra imaginar tamanha humildade? Um Deus que nasce pobre em uma manjedoura e que viveu pobremente com sua Santa Mãe no meio dos pobres e pequeninos. Por isso Francisco diz: “Para mim é dignidade e nobreza insigne seguir aquele senhor que sendo rico se fez pobre por amor de nós”. Jesus se fez pobre por amor de nós e Francisco se fez pobre por amor a Jesus.

Francisco era rico, filho de um bem sucedido comerciante de tecidos. Sempre foi muito mimado e fez tudo o que queria. Tinha tudo e em sua casa nunca faltou nada, mas renunciou a tudo e foi viver no meio dos pobres e leprosos. Amava a pobreza. Amava mendigar, se humilhar, dizia que os frades não podiam ter vergonha de pedir esmolas. E quando era convidado para um banquete, antes ele pedia esmolas em alimento e as levava para comer. Nosso seráfico pai costumava dizer que era preferível a esmola pedida a aquela recebida voluntariamente, ou seja, tinha que pedir, se humilhar. Tinha que se rebaixar para que o nome do Senhor fosse exaltado. São Francisco também dizia que a função da ordem dos frades menores era justamente ajudar as pessoas a se salvarem através da esmola, pois assim se cumpriria o que disse Jesus: “O que fizestes a um destes meus irmãos menores, foi a mim que fizestes”.

Que assim seja.

Amém.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.