Cristianismo Primitivo: Os Irmãos de Jesus

44

Jesus tinham irmãos consanguíenos?

“Não é este o carpinteiro, o filho de Maria?” (Mc. 6, 3). A isto objeta-se por vezes que a Escritura menciona irmãos e irmãs de Jesus (cf. Mc. 3,31-35; 6,3; 1Cor. 9,5; Gal. 1,19 etc.). A Igreja sempre entendeu que essas passagens não designam outros filhos da Virgem Maria; com efeito, Tiago e José, “irmãos de Jesus” (Mat. 13,55), são os filhos de uma Maria discípula de Cristo (Mat. 27,56), que significativamente é designada como “a outra Maria” (Mat. 28,1). Tratam-se de parentes próximos de Jesus, consoante uma expressão conhecida no Antigo Testamento (Gen. 13,8; 14,16; 29,15 etc.).

— Catecismo 500

Clemente de Alexandria

150 – 215 D.C.

Judas, que era irmão de um dos filhos de José e muito temente a Deus, mesmo reconhecendo o seu parentesco com o Senhor, não disse no entanto que era seu irmão. Ao contrário, o que disse? “Judas, servo do Senhor Jesus Cristo, irmão Tiago”. Isto é precisamente exato: era seu irmão por parte de José [não de Maria].

Sobre a Carta de Judas

Santo Atanásio

296 – 373 D.C.

Como o corpo do Senhor foi colocado a sós no sepulcro, para que pudesse demonstrar sua ressurreição, talvez por motivo semelhante seu corpo proveio de Maria, como filho único, para que crêssemos em sua origem divina.

Da Virgindade 2

Santo Epifânio de Salamina

310 – 403 D.C.

Ora, se Maria tivesse filhos, ou se seu esposo ainda estivesse vivo, por que o Senhor a confiaria a João ou João a ela? Mas: e por que não confiou a Pedro, a André, a Mateus, a Bartolomeu? […] Não sendo mãe corporal de João, o Senhor queria significar ser ela a mãe ou o princípio da virgindade: dela procedeu a Vida. Nesse intuito dirigiu-se a João, que era estranho, que não era parente, a fim de indicar que sua Mãe devia ser honrada.

Os últimos dias da Virgem Maria

Dídimo, o Cego

313 – 398 D.C.

Nos ajuda a compreender os termos primogênito e unigênito quando Evangelista diz que Maria permaneceu Virgem até que deu à luz ao seu filho primogênito (Mt. 1, 25). Nada fez Maria, que é honrada e louvada acima de todas as outras: não se relacionou com ninguém, nem jamais foi Mãe de qualquer outro filho; mas, mesmo após o nascimento do seu filho [único], ela permaneceu sempre e para sempre uma virgem imaculada.

Da Trindade 3, 4

Santo Agostinho

354 – 430 D.C.

Quando vocês ouvirem falar dos ‘irmãos do Senhor’, pensem logo que se trata de algum parentesco que os une a Maria, sem imaginar ter ela tido outros filhos.

Comentário sobre o Evangelho de João 28, 3

São Jerônimo

347 – 420 D.C.

Na Sagrada Escritura há quatro espécies de irmãos: pela natureza, pela raça, pelo parentesco e pelo amor. Exemplos de irmãos pela natureza foram Esaú e Jacó, os doze patriarcas, André e Pedro, Tiago e João. Irmãos de raça, eram todos os judeus que assim se chamavam um ao outro […] E ainda mais: são chamados irmãos por parentesco aqueles que são de uma família, que é pátrio, que corresponde à palavra latina “paternidade” […].

Contra Helvídio

São João Damasceno

675 – 749 D.C.

Hoje, da Jerusalém terrestre, a Cidade viva de Deus [Maria] foi conduzida à Jerusalém do alto: aquela que concebera como seu primogênito e unigênito o Primogênito de toda a criatura e o Unigênito do Pai, vem habitar na Igreja das primícias! […] Cantemos hinos sacros e nossas melodias se inspirem nas palavras: “Ave, cheia de graça: o Senhor é contigo”

Homilia sobre a Dormição de Nossa Senhora

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.