Conheça, ame, viva e defenda a Fé Católica

A Sabedoria das Beatas

235

Santo Afonso de Ligório conta uma história muito interessante. Lá pelo ano de 1.604, na região flamenga da Bélgica, dois jovens estudantes viviam em devassidão. Certa noite, foram os dois a uma casa de tolerância, deixando um palmo mais funda a cova em que buscavam ser enterrados por toda a eternidade. Um desses jovens, chamado Ricardo, voltou para casa mais cedo, pois estava bem cansado, enquanto o outro lá permaneceu. Este Ricardo, abatido pelo cansaço e já prestes a dormir, lembrou-se que não tinha rezado algumas Ave-Marias como era de costume (muito provavelmente, aprendeu essa devoção de alguém e a carregou consigo como uma espécie de idiossincrasia no meio em que vivia). Com muito sono e sem qualquer vontade de rezar (quantas vezes isso já não te aconteceu?), fez um último esforço e rezou, ainda que sem devoção e por entre os desvarios que precedem o sono profundo. Depois disso, deitou-se e adormeceu.

Passado pouco tempo, ouviu o jovem fortes batidas na porta de seu quarto. Imediatamente despertou, e sem que houvesse tido a oportunidade de abrir a porta, viu diante de si seu companheiro de farras, totalmente desfigurado, tal como um cadáver horrendo.

Tomado pelo espanto, perguntou quem era, ao que a aparição lhe indagou: “Não me conheces?”. Ricardo, que sabia que era seu companheiro que lhe falava, perguntou: “Como mudaste tanto? Pareces um demônio!”, ao que o condenado respondeu: “Ai de mim! Ao sair daquela casa, veio um demônio e me sufocou. Meu corpo jaz no meio da rua e minha alma está no inferno. O mesmo castigo tocava a ti, mas foste salvo pela Bem-Aventurada Virgem Maria pelo pequeno obséquio que a Ela prestas. Bem-aventurado serás tu se souberes aproveitar este aviso que a Mãe de Deus te dá por meu intermédio”. Depois de dizer isso, entreabriu a capa que vestia, ao que Ricardo viu seu corpo atormentado por chamas e serpentes. Logo, teve fim a terrível visão.

Ricardo, tomado pelo santo temor de Deus, prostrou-se ao chão e chorando copiosamente rendeu graças à Santa Mãe de Deus que o havia livrado do mesmo destino. Enquanto deliberava em como mudar de vida, ouviu soar o sino de um convento da Ordem dos Frades Menores que havia por ali. Tomou o fato por sinal de que ali era o lugar que Deus lhe tinha preparado para que se penitenciasse de sua má vida.

Tendo ido ao frades para que o recebessem, foi por eles rejeitado, pois conheciam sua má vida. Então, entre lágrimas, contou-lhes tudo o que havia se passado na madrugada. Dois religiosos foram à rua indicada para verificar o que havia sido dito, e se surpreenderam ao ver o cadáver do companheiro de Ricardo, que estava com aspecto negro como carvão e que parecia ter sido sufocado. Admitiram, pois, a entrada de Ricardo no convento, e este levou uma vida penitente e exemplar.

Ricardo foi enviado como missionário nas Índias e depois ao Japão, onde recebeu a palma do martírio sendo queimado vivo por amor de Nosso Senhor Jesus Cristo.

Esse breve relato deve servir para ti, meu caro irmão, como uma fonte de esperança no patrocínio da Santa Mãe de Deus. Se soube a Virgem Maria recompensar tão bem um pecador que em meio a uma vida devassa não esqueceu de obsequiá-la com a saudação angélica, quem dirá tu, que já te dispuseste a romper definitivamente e para todo sempre com tudo aquilo que é contrário à vida da Graça?

Mas que não peques pelo excesso de esperança! Para tanto, grava em teu coração o seguinte: É certo que, não houvesse Ricardo dado ouvidos à mensagem da Santa Mãe de Deus, é bem provável que teria por destino um lugar ainda pior no inferno, pois teve mais oportunidade de se converter, o que agrava ainda mais a culpa pelo pecado.

Entenda, pois, que és Ricardo, e que hoje a Santíssima Virgem te mostra isso para que possas trilhar pelo mesmo caminho de santidade que trilhou o santo missionário.

Disse isso como complemento de nosso encontro passado, e creio que não te perturbas por isso, pois é sempre bom conhecer e rememorar esses fatos extraordinários que revelam a ação de Deus no mundo e que justificam a santa doutrina.

Mas quero hoje falar-te sobre outra devoção que é muito agradável à Santa Mãe de Deus. Esse artigo leva por título “A Sabedoria das Beatas”, pois é quase impossível tratar desse tipo de devoção sem que nos venha à memória as velhas senhoras da Igreja e a devoção que mais parecem apreciar. Sim, eu me refiro às novenas!

Muito agradam a Nossa Senhora essas novenas que se fazem em sua honra, geralmente precedidas das importantes solenidades marianas. Não quero aqui me deter nas principais solenidades em honra à Mãe de Deus, tampouco nas orações indicadas para cada um dos dias, pois essas coisas bem podes consultar facilmente na internet. Quero é indicar-te algumas devoções que podes praticar no período das novenas, a fim de torná-las ainda mais agradáveis ao Imaculado Coração de Maria.

De todas as práticas que listarei, peço-te que faça uma escolha prudente. Não é necessário praticá-las todas. Deves, pois, escolher aquela que mais coaduna com teu estado de vida e compromissos diários.

Podes todos os dias da novena dedicar-te a um período de oração mental, meditando as glórias de Nossa Senhora. Isso pode ser feito pela manhã e pela tarde, e nada que precise exceder a dez ou quinze minutos. Para bem fazer isso, aconselho-te a usar desses bons livros dedicados às glórias de Maria. Bom seria que ao menos uma dessas orações fosse feita diante do Santíssimo Sacramento.

Também podes alternativamente visitar todos os dias uma imagem de Nossa Senhora, agradecendo a Deus todas as graças com que cumulou sua Mãe Santíssima. Após isso, peça à Maria um favor especial para si ou para outrem.

Outra prática muito agradável a Nossa Senhora é que durante os nove dias dirijas muitas jaculatórias a Ela e a seu Divino Filho.

Além dessas práticas, podes fazer em honra à Santa Mãe de Deus alguns exercícios de penitência ao longo dos nove dias. Tenha, no entanto, prudência ao escolher penitências corporais e, se for o caso, aconselha-te com teu diretor espiritual para que te indique penitência suficiente para o fim proposto. 

Há, no entanto, um tipo de penitência que é muito mais agradável a Nossa Senhora, e que pode ser praticada com menor perigo de orgulho, dispensando até mesmo a autorização de um diretor espiritual. Trata-se da mortificação interior. Podes, ao longo dos nove dias, abster-te do uso de redes sociais, de televisão, de ouvir músicas etc. Podes entregar-te com mais zelo ao silêncio, evitar este ou aquele tipo de pensamento ou conversa vã, este ou aquele lazer etc. Faz tudo isso discretamente, de modo que ninguém perceba tua mortificação, e a Santa Mãe vai saber dar a recompensa.

Posso dizer ainda que o mais agradável a Nossa Senhora seria que empreendesses nos nove dias uma luta específica contra um dos vícios de tua alma. Se és uma pessoa irascível, comprometa-te firmemente a lutar nesses nove dias contra a murmuração, os xingamentos, as queixas etc. Aproveite a ocasião das visitas ao Santíssimo ou à imagem de Nossa Senhora para pedir perdão pelas vezes que pecou por conta de tal vício, comprometa-te firmemente a abandonar o mau hábito e implore o auxílio de Maria Santíssima para o fazê-lo.

Esse tipo de propósito é como uma moeda com dois lados. No aspecto negativo, buscamos lutar contra um vício, mas no aspecto positivo, podemos buscar imitar ao longo dos nove dias e de uma maneira especial alguma das virtudes de Nossa Senhora (humildade, caridade, pobreza, pureza etc.). Escolha a virtude mais adaptada ao mistério que será celebrado na solenidade que está sendo preparada.

Então tenhamos como exemplo o dia 25 março, em que comemoramos a Anunciação do Anjo e a Encarnação do Verbo de Deus. A mim parece que a virtude de Maria que mais chama atenção nesse dia é sua humildade e sua Fé. Portanto, na novena que precede essa solenidade, podes dedicar-te à prática dos atos próprios da humildade como forma de imitar Nossa Senhora nessa virtude. 

Ao longo dos nove dias, procura dispor de teu tempo em ordem para comungar diariamente, ou ao menos com a máxima freqüência possível. Saiba que Jesus Cristo criou a Igreja para que por meio dela tivessem as pessoas acesso à Eucaristia, sendo este o bem mais precioso de nossas vidas, porque é o próprio Cristo. Portanto, nada pode agradar mais a Santa Mãe de Deus do que uma alma que comunga do Corpo e Sangue do Senhor, pois é para esse fim que se ordena toda a devoção a Nossa Senhora.

No dia da solenidade, depois da comunhão, oferece-te ao serviço da Santa Mãe de Deus. Pede-lhe a virtude por que tanto te esforçaste por adquirir durante a novena, ou alguma outra graça que te seja muito importante, como a salvação de uma pessoa, a libertação de uma alma do purgatório etc.

Santo Afonso recomenda que é bom que escolhas, dentre todas as solenidades do ano, uma para a qual te prepares com maior fervor. Faz dessa solenidade um marco anual no qual examinarás como procedeste no último ano. Após esse exame, pede perdão por tuas faltas e consagra-te novamente ao serviço de Nossa Senhora, prometendo a Ela uma maior fidelidade no ano vindouro.

Em tudo isso, pede sempre à Mãe de Deus que te aceite por servo e por filho, embora sejas indigno. Devo ainda lembrar-te, meu caro irmão, que o mesmo Santo Afonso tem uma célebre frase que diz: “Quem reza se salva, quem não reza é condenado”. Portanto, todos os dias de tua vida deves pedir à Santa Mãe de Deus que te alcance perdão de teus pecados e misericórdia no dia do julgamento de tua alma.

Pense nisso como alguns períodos do ano em que te dedicas a um treino diferenciado, sob orientação de tua Treinadora. Lembro-me que quando praticava artes marciais, o mestre costumava por vezes a dedicar toda uma sessão de treino a um golpe específico. Lá ficávamos nós, por mais de uma hora dedicando-nos a repetir o mesmo movimento ou a mesma série de golpes. Pode parecer duro praticar aquele mesmo armlock 100, 200, 300 ou até 1.000 vezes num dia, mas eu te digo por experiência que depois disso o golpe nunca mais será o mesmo.

Há na vida espiritual, e o próprio calendário litúrgico contempla essa dimensão, momentos em que nos dedicamos de um modo especial a esta ou àquela prática, a esta ou àquela virtude, a este ou àquele trabalho. A própria quaresma que estamos vivendo é um exemplo claro disso. Portanto, aproveite bem essas solenidades de Nossa Senhora, tal como as beatas que ainda perseveram rumo ao Céu, para dedicar-te de modo especial à devoção e à imitação de uma das virtudes da Santa Mãe de Deus. 

Em nosso próximo encontro, pretendo iniciar a devoção que a mim se afigura como a mais preciosa, que é o Santo Rosário. Tendo essa devoção se agigantado em meu coração desde o princípio, às graças obtidas por meio dela é que atribuo o fato de estar aqui hoje conversando contigo.

Que Deus abençoe a todos e ao Apostolado Cooperadores da Verdade.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.