Conheça, ame, viva e defenda a Fé Católica

E26T05 – Especial Santa Teresa d’Ávila

237

O último episódio de 2020 também é o último da série os Santos Carmelitas. Por isso fizemos um grande especial Santa Teresa d’Ávila.

Santa Teresa d’Ávila

Santa Teresa de Ávila — ou Santa Teresa de Jesus — nasceu em Ávila, na Espanha, em 1515, e foi educada de acordo com a fé da Igreja; tanto assim que, quando criança, encantada por estudar a vida dos santos mártires, fugiu com seu irmão para buscar o martírio. Ingressou no Carmelo de Ávila aos vinte anos e lá viveu por um longo período na tibieza e apego aos bens terrenos. Certa vez, foi alcançada por Cristo ao observar sua imagem sofredora e, a partir daí, assumiu a sua conversão, recuperando o fervor da espiritualidade carmelita.

Foi grande amiga de São João da Cruz, seu conselheiro espiritual, também Doutor da Igreja, místico e reformador da parte masculina do Carmelo. Por meio desta santa amizade, com a orientação deste grande amigo, iniciou aos 40 anos de idade, já com saúde abalada, a reforma do Carmelo feminino. Começou pela fundação do Carmelo de São José e dali partiu para todas as direções da Espanha, criando novos Carmelos e reformando os antigos. Todo este movimento provocou certos ressentimentos por parte daqueles que não aceitavam a vida austera que Santa Teresa propunha para o Carmelo reformado. Chegou a ter sua licença para reformar os conventos e fundar novas casas temporariamente revogada.  

Santa Teresa deixou-nos um grande legado para a vida espiritual, com várias obras grandiosas e profundas, que foram escritas principalmente para as suas filhas do Carmelo: “O Caminho da Perfeição”, “Pensamentos sobre o Amor de Deus”, “Castelo Interior”, “A Vida”. 

Morreu em Alba de Tormes na noite de 4 de outubro de 1582 aos 67 anos. Em 1622 foi proclamada santa e, em 1970, o Papa Paulo VI reconheceu-lhe com o Título Doutora da Igreja.

O seu segredo foi o amor. Foi fundadora de mais de trinta mosteiros, e recuperou o fervor primitivo de muitas carmelitas, juntamente com São João da Cruz. Com uma alma profundamente católica, antes de morrer disse: “Finalmente, Senhor, sou filha de vossa Igreja. Como filha da Igreja Católica quero morrer”.  É considerada um dos maiores gênios que a humanidade já produziu, sendo admirada até mesmo por ateus e livres-pensadores; a força persuasiva de seus argumentos, seu estilo vivo e atraente e seu profundo bom senso, chamam a atenção de todos. O grande Doutor da Igreja, Santo Afonso Maria de Ligório, a tinha em tão alta estima que a escolheu como patrona, e a ela consagrou-se como filho espiritual.

Informações

Clube do ouvinte: Acessar
Compre na Amazon: Amazon

Curta: Facebook
Siga: Twitter
Assista: YouTube
Insta: Instagram
Entre: Telegram
Ouça: Spotify / Deezer

Telegram:

Canal: Entrar
Grupo: Entrar

WhatsApp:

Grupo Oficial: Peça em nossas redes sociais.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.